domingo, 17 de agosto de 2014

TEMPLO DE SALOMÃO

O programa dominical "Domingo Espetacular" do último domingo(3/8), exibiu com exclusividade o interior do Templo de Salomão, mostrou todos os aposentos do templo, e cada parte do templo, mostrou toda a sua história, desde o primeiro templo até o atual.

No vídeo abaixo você vai ver tudo o que aconteceu na inauguração do Templo, com a presença de todas as personalidades que lá estiveram presentes. Assista e compartilhe com o link abaixo:

http://goo.gl/lBu9e0

https://www.youtube.com/watch?v=KN3NblTvkMM

OU CLIQUE NA IMAGEM DO TEMPLO.

Templo de Salomão.2

sábado, 26 de julho de 2014

ISRAELENSES X PALESTINOS

ESSA GUERRA VEM DOS TEMPOS BÍBLICOS

faixa de Gaza

O conflito entre israelenses e palestinos retomam os tempos bíblicos, quando Abraão teve os filhos Isaque e Ismael e Deus havia prometido a Terra Santa para a sua descendência. Porém, segundo a Bíblia, o herdeiro que geraria o povo escolhido de Deus era Isaque. Já seu irmão mais velho, Ismael – que havia nascido da escrava Agar, expulsa da tenda de Abraão –, cresceu no deserto e também gerou uma nação numerosa, que vivia em caravanas. Esses povos se desenvolveram, dando origem a Israel e à Palestina, que duelam pelo território desde então.

israel_palestina

Depois da diáspora judaica, o Império-Otomano tomou essas terras e viveu nelas até 1917. Contudo, os descendentes judeus que estavam espalhados pelo mundo retornaram ao local em uma migração em massa. Foi nesse momento que os confrontos conhecidos hoje tiveram início. Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) fez uma divisão do território para que não houvessem mais discordâncias, mas essa divisão não foi bem aceita por nenhum dos dois povos.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

A Excelência da Palavra de Deus

 

bíblia

O vocábulo “excelência” expressa aquilo que está em primeiro lugar, o que tem a primazia, o que a tudo supera. A palavra pronunciada por Deus, sempre se coloca numa posição superior a todas e demais palavras. A razão é óbvia, quem pode proferir palavras com maior sabedoria e autoridade do que aquele que criou o universo e tudo o que nele se encontra? A Bíblia é a Palavra de Deus dirigida aos homens.

Ela é, sempre, uma palavra final, soberana e eterna – “Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor; a palavra do Senhor, porém, permanece para sempre” (I Pedro 1.24,25). O que procede de Deus é imutável e permanente, o que se origina no homem é efêmero e precário. Eis um das fortes razões para que a igreja, serva de Deus para servir ao mundo, deve conhecer e viver sob a instrução da Palavra divina.
Deus ao decidir criar o homem e a mulher, anunciou o fato com a sua própria voz – “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança”. Tudo se origina da palavra que Deus pronuncia. Após criar o primeiro homem, ele “os abençoou e lhes disse...” (Gênesis 1.26), isso atesta que ele busca se comunicar com o ser que criou, falando-lhe. Deus nunca deixou de se dirigir aos homens, pois, ele é o afetuoso Pai que anseia por tê-los como membros da sua família eterna.
A PALAVRA FEITA CARNE
O testemunho que encontramos no livro de Hebreus diz: “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a que constituiu herdeiro de todas as cousas, pelo qual também fez o universo” (Hebreus 1.1,2). E o evangelho de João atesta: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” – “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade” (João 1.1,14). Jesus é o Verbo – a Palavra – de Deus por excelência – “Pois o enviado de Deus fala as palavras dele” (João 3.34). Jesus é a Palavra de Deus que é amor, mesmo quando ele profere um julgamento.
Na Bíblia nós encontramos - de Gênesis ao Apocalipse - testemunhos sobre a pessoa e a obra de Jesus. Essas declarações são os pontos mais altos de toda a palavra que veio de Deus, para que o homem conheça o seu propósito eterno de salva-lo, pois, está distante dele. Desde Abel, no Antigo Testamento, até os profetas, encontramos homens e mulheres que “morrem na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe” (Hebreus 11.13); eles creram nas palavras proféticas de Deus, e compreenderam que elas se realizariam com a vinda de seu Filho ao mundo – “Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele [em Jesus] o sim” (II Coríntios 1.20).
O imutável pedido de Jesus a todos que são seus discípulos é: “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (João 15.7). Essa é uma das muitas razões pela qual nós, individualmente, e a igreja, coletivamente, precisamos amar, conhecer e viver a palavra divina.
A PALAVRA E A ORAÇÃO
Assim como Jesus teve que abrir a mente dos discípulos em Emaús para que pudessem entender as Escrituras (Lucas 24.27) e, também, dos demais discípulos reunidos quando lhes apareceu após a ressurreição (Lucas 24.40), ele deseja abrir, hoje, as nossas mentes para que possamos “ouvir” e “crer” mais profundamente. Para que isso ocorra, o estudo, a leitura, o ouvir da Palavra, requerem, de nossa parte, uma atitude de oração. Assim, o Espírito Santo revelará, ao que ora, toda a riqueza que os textos bíblicos contem - “O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Romanos 8.16). Nunca o Espírito Santo deixa de revelar a verdade eterna aos que são filhos de Deus e estão atentos para ouvi-lo.
O PROPÓSITO DE PALAVRA DE DEUS
II Timóteo 3.15-17 diz que as sagradas letras “podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus”, e que, “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda a boa obra” - “Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido dadas todas as cousas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo” (II Pedro 1.3,4).
A PALAVRA DE DEUS PRODUZ:
VIDA
– I João 6.63 - “O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida”.
PRODUZ FÉ – Hebreus 11.3 – “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das cousas que não aparecem”.
LIMPA – João 15.3 – “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado”.
LUZ - II Pedro 1.19 – “Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração”.
ENTENDIMENTO – Salmo 119.105 – “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para os meus caminhos”.
FIRME SEGURANÇA – Mateus 7.24,25 – “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha”.
REGENERA – I Pedro 1.23 – “pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas da incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e permanece para sempre”.
A Palavra é eterna – “a palavra do Senhor, porém, permanece para sempre” (I Pedro 1.25).
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Friend A Bíblia deve ser o nosso alimento espiritual diário se desejamos ser fortes e vigorosos na fé que professamos. Precisamos ter: decisão para ler a Palavra constantemente; graça para assimilá-la; presteza para reproduzi-la no viver diário e conhecimento para darmos testemunho dela aos outros. Se alguém não possui o necessário entendimento para isso, o útil conselho que a própria Escritura dá é: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida” (Tiago 1.5).
Não esqueçamos que a Palavra é - (a) leite que nutre – “desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação” (I Pedro 2.2); (b) água que limpa – “tendo-a purificado por meio da lavagem e da água pela palavra” (Efésios 5.26); (c) espada para as lutas – “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios 6.17); (d) mel que deleita – “os juízos do Senhor são verdadeiros e igualmente justos,... são mais doces do que o mel e o destilar dos favos” (Salmo 19.10); (e) fogo e martelo – “Não é a minha palavra fogo, diz o Senhor, e martelo que esmiúça a penha?” (Jeremias 23.29); e, finalmente, “A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos” (Salmo 19.7,8). Amém.

 

FONTE: E-mail recebido de: http://universidadedabiblia.com.br/shop/

Inteligência X Sabedoria: qual delas traz resultados permanentes?

Pessoas contam como enfrentaram os problemas de forma extraordinária

Você já parou para avaliar que de nada adianta a pessoa apoiar-se nos estudos e diplomas que possui, falar vários idiomas e ter qualificações mil se não tiver o primordial, que é a sabedoria advinda do Criador?

Não estamos querendo dizer com isso que os estudos não sejam importantes. Ao contrário, eles são parte essencial – e até obrigatória – do currículo daqueles que anseiam avançar profissionalmente. Contudo, o crescimento e a ascensão (não só profissional, mas em todos os sentidos da vida) só serão de fato conquistados e mantidos se a pessoa tiver “algo” a mais, ou seja, a Sabedoria Divina como fonte de inspiração e direção.

Mas essa Sabedoria não se adquire simplesmente por ser um conhecedor da Palavra de Deus, a exemplo do que acontece com muitos que, embora tenham nascido em berço cristão, levam uma vida de completo fracasso.

O operador de logística Ivan Carlos de Oliveira, de 34 anos, que nasceu e cresceu em um lar cristão, confirma tal afirmação. Ele relata que levava uma vida triste, sem ter expectativas. Casou-se, mas o relacionamento estava em ruínas. As finanças também só decaíam e, segundo conta, chegou a depender do cunhado, para que lhe emprestasse o cartão de crédito e fizesse compras no supermercado.

Ivan diz ter chegado à Universal desta forma. Lá, garante, aprendeu a usar a fé de forma sábia, o que fez toda a diferença para ele e sua família. A Fogueira Santa de Israel foi o caminho que ele encontrou para expressar essa fé e ver, como da água para o vinho, a mudança em sua vida.

“Cheguei aqui na Universal sem absolutamente nada, fraco em todos os sentidos. A partir do momento que pautei a minha vida nas mãos de Deus, quando coloquei em prática a fé do sacrifício, tudo mudou. Meu casamento – que era praticamente de aparência, ou seja, estávamos casados, mas vivíamos como se fôssemos separados – foi completamente restaurado. Hoje minha vida é uma delícia, eu e minha família brincamos o tempo todo, estou prosperando financeiramente e me utilizando desta fé arrojada tenho perspectivas de vida”, diz Ivan. Ele revela ainda que no ano que vem se formará em administração de empresas e agora leva uma vida com qualidade e é, de fato, feliz.

Mudança radical

Agora, imagine alguém sem estudos e oportunidades na vida, que praticamente cresceu jogado às traças e viveu em situação de rua por mais de quatro décadas, mas que, ao conhecer a Deus e buscar essa mesma Sabedoria citada por Ivan, tornou-se um grande e bem-sucedido empresário no Sul do País.

Foi exatamente isso o que aconteceu com Darci dos Santos, de 65 anos, que nasceu numa condição degradante, nunca conheceu os pais e até os 8 anos de idade viveu numa instituição para menores.

“Nessa mesma época, fugi e fui morar nas ruas. Passei fome, frio, dormi nos bancos, apanhei dos outros e dependi todos esses anos de terceiros para comer, vivia maltrapilho e fedendo. Desta forma, cheguei à Universal, lugar onde fui convidado a entrar, orientado e aprendi a usar a minha fé. A Fogueira Santa foi o primeiro grande sacrifício que fiz, mesmo sem ter absolutamente nada, o que proporcionou uma mudança radical na minha vida”, afirma.

Darci conta que, para gerar seu sacrifício, vendeu latinhas, usou a fé e no dia determinado da entrega do voto depositou toda a quantia que conseguiu no Altar. “Três meses depois, comecei a trabalhar numa construtora, fui aprendendo o serviço e, apesar de não saber ler nem escrever, tampouco ter noção de dinheiro na época, hoje sou proprietário de uma empresa na área de construção civil. Tenho 23 funcionários diretos e outros 18 indiretamente, comprei a minha casa, o meu carro e me casei com uma pessoa maravilhosa. Hoje desfruto do extraordinário e de uma paz que jamais tive, mas foi uma mudança de ideia, de pensamento, e de objetivos que me possibilitou toda essa transformação”, conta.

Ivan e Darci investiram na Sabedoria que vem do Alto e, com o uso da fé, conseguiram provar que inteligência sem essa Sabedoria não traz o resultado permanente desejado. Por isso, se, assim como eles, você não aceita continuar vivendo da mesma forma, sem nenhum sinal de mudança, mas anseia superar os problemas que lhe causam sofrimento, a Fogueira Santa é a sua chance.

Para obter mais informações sobre esse propósito ou conhecer mais histórias de sucesso, acesse o site www.universal.org/fogueirasanta/.

Fonte: http://www.universal.org

A mulher submissa é feliz?

Saiba se a submissão é benéfica ou não à vida a dois

 

Joana PradoUma declaração da empresária e ex-modelo Joana Prado (casada há 14 anos como lutador de MMA Vítor Belfort) em uma rede social, postada recentemente, deu o que falar. Tudo porque ela afirmou que havia encontrado o equilíbrio entre a submissão e a independência em relação ao esposo: “Consigo ser totalmente submissa ao meu marido e ser uma mulher totalmente independente, gerenciando minhas empresas e negócios”, escreveu ela.

Boa parte dos seguidores de Joana entendeu como se ela fosse escrava ou algo do tipo em relação ao marido. Mas seria a submissão sinônimo de escravidão?

Há dois pontos importantes para refletirmos: a submissão pode existir com consentimento (obediência) do outro ou sem consentimento (escravidão). De acordo com o dicionário da Academia Brasileira de Letras, a palavra “submissão” significa “ato ou efeito de submeter-se; sujeição ao domínio de outrem; que é servil; obediente”.

Com a evolução da sociedade, porém, alguns termos vão perdendo o seu real significado. E submissão é um desses termos que em muitos momentos não condizem com a realidade. No caso de Joana, em nenhum momento vemos submissão como “mulher infeliz” ou “escrava do marido”, maneira como alguns a veem. Nas palavras ditas pela empresária fica claro que ela não se vê como um capacho do marido, mas sim como uma esposa obediente, humilde, realizada em prol do sucesso da união do casal.

No livro “Melhor que comprar sapatos”, a escritora Cristiane Cardoso explica que submissão não significa que a esposa deva se submeter a ponto de ser infeliz, perder a sua fé ou, até mesmo, destruir o próprio marido. “Deus nunca disse que as esposas devem ser tratadas como escravas e jamais depreciou os seres humanos.” A autora ainda destaca: “Temos que nos submeter, mas não devemos ser tolas a ponto de destruirmos os nossos maridos ou a nossa fé em Deus. Submeta-se apenas se for para ajudar; caso contrário, sua submissão pode destruir tudo por completo.”mulher-submissao

Para a auxiliar administrativa Franceslí Laranjeira, de 61 anos, a palavra submissão é entendida de forma pejorativa e não sublime como deveria. “Eu não me sinto submissa da forma pejorativa. É uma submissão sublime. Deus colocou o homem como cabeça, mas isso não significa que o meu marido é o Senhor, e, sim, que eu sou auxiliadora dele, o ‘pescoço’”, diz. Ela ainda acrescenta: “No início eu não pensava assim, mas depois de 28 anos diante de Deus, o casamento começou a ‘arrebentar’ e hoje são 40 anos de uma feliz união.”

No livro “Casamento Blindado”, o autor Renato Cardoso explica que “a mulher que não se submete a seu marido acaba castrando-o sem querer. Não é a intenção dela, mas ela o faz um ‘João ninguém’. Sem respeito, o homem perde a essência masculina. Quando você não lhe cede esse papel no casamento, ele não se sente respeitado e deixa de cumprir o seu papel de homem da casa”.

Diante disso, cabe a cada uma de nós refletir e tomar a decisão de ser ou não submissa. Qual é a sua escolha?

Fonte: http://www.universal.org

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin