terça-feira, 10 de março de 2015

SENTINDO VONTADE OU NÃO


O alarme do celular dispara ecoando o barulho pelo quarto. A pessoa olha para o visor e pressiona a opção “soneca”. “Só mais 5 minutinhos”, ela diz. Quando percebe, o mesmo botão já foi pressionado várias vezes e novamente essa pessoa está atrasada para o trabalho.
Aquele projeto está digitado no computador há meses e não se torna realidade, porque a pessoa está esperando uma oportunidade para colocá-lo em prática.
As tarefas estão se acumulando nos lembretes. A pessoa olha e diz para si mesma: “Ah, depois eu faço. Deixa para amanhã.”
Você sabia que esse tipo de atitude é muito prejudicial para o desenvolvimento profissional?
Por isso, fique atento para não se tornar mais uma vítima do comodismo. Para alcançar o sucesso, é muito importante ter foco e buscar sempre alcançar os objetivos.
Todos os dias, antes de trabalhar, visualize aonde você quer chegar e quais são os seus propósitos. Revise as tarefas do dia e verifique as prioridades. Dedique-se para alcançar o seu sonho.
Sentindo vontade ou não, você precisa fazer o que é o melhor para a sua vida.
Confira o vídeo abaixo e pense sobre como você tem conduzido as suas realizações:



Fonte: http://www.universal.org

quarta-feira, 4 de março de 2015

50 tons de vergonha

Familiares de protagonistas de "50 tons de cinza" não querem ver o filme

Por: Andre Batista/ Imagem: Reprodução NBC News

 

O filme bate recorde no mundo inteiro, com mais de 400 milhões de dólares em bilheteria, mas a mãe de Dakota Johnson, atriz principal, se recusa a assistir. Antes mesmo do lançamento, o filme já fazia tanto ou mais sucesso que o livro que o originou, mas o galã da trama, Jamie Dornan, já demonstrava seu desconforto por filmar.

“Eu me sinto ‘sujo’ por filmar essas cenas eróticas”, já havia declarado Dornan a diversos veículos. “Quando chego em casa após o trabalho, tomo banho para me limpar antes de fazer qualquer coisa, antes mesmo de tocar meu filho e minha esposa.”

Dornan, aliás, declarou que a esposa dele, Amelia Warner, “é a última mulher do mundo a querer ver esse filme”, levantando rumores sobre sua permanência para a filmagem das sequências. Amelia também teria demonstrado ciúmes de Dakota e dito que ela parecia vulgar nas cenas que vira.

Já Dakota viveu grande desconforto ao vivo, na frente do mundo inteiro, durante a cobertura do Oscar pela tevê. Acompanhada de sua mãe, a também atriz Melanie Griffith, ao conceder entrevista ela ouviu a mãe dizer as seguintes palavras: “Não assisti. Não acredito que eu consiga ver esse filme.”

Se até os familiares daqueles que ganharam fama e dinheiro com o filme não querem assisti-lo, por que você deveria? Veja aqui o que o bispo Renato Cardoso publicou em seu blog sobre “50 tons de cinza”.

Você assistiu ou conhece alguém que tenha assistido ao filme? Por que algo vergonhoso faz tanto sucesso?

Fonte: http://www.universal.org

terça-feira, 3 de março de 2015

O que representa a festa do Carnaval.

 

O carnaval é uma festa que já existe há muitos anos. Se observarmos as Escrituras Sagradas, podemos verificar que festas semelhantes a esta eram realizadas por povos que viviam distantes de Deus (Gênesis 18, 19 e Êxodo 36). Mais tarde na Itália, surgiu uma festa chamada carnavale, que quer dizer “o tempo em que se faz uso da carne”.

Hoje em dia, no Brasil, o carnaval é uma festa que acontece nos três primeiros dias que antecedem a quarta-feira de cinzas, e é realizada com o intuito de incentivar as pessoas a fazer tudo o que têm vontade, sem restrições. É uma forma de liberdade para realizar o que a vontade carnal deseja, como: prostituição, vícios, mentiras, adultério, brigas, contendas e muitas outras coisas escondendo-se atrás dos “dias de folia”.  Não há a menor preocupação entre as pessoas que participam desta festa, em agradar a Deus ou praticar o que é certo. Mas uma vontade de guiar a si mesma para os prazeres da carne.

Se procurarmos no dicionário o significado da palavra carnaval, podemos observar que ela tem como sinônimo as palavras “confusão, desordem e orgia”, coisas que não nos trazem benefício algum, pelo contrário, nos afasta de Deus.

Além de tudo, a Bíblia nos ensina que quando queremos conhecer se a arvore é boa ou má, devemos olhar os seus frutos, sendo assim, podemos observar que os frutos do carnaval são totalmente maus, uma vez que as pessoas ficam embriagadas, sofrem acidentes, muitos cometem assassinatos, outros traem, prostituem, brigam, pessoas são contaminadas pelo vírus da AIDS, famílias são destruídas etc.

Se queremos andar com Deus, devemos nos afastar e tudo que O desagrada, e para aqueles que O amam, isso não é um sacrifício, mais um dever diário.

“Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.

Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. (...)Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” Gálatas 5 13:21

Fonte: http://aldineijoao.blogspot.com.br

Você conhece a história do "homem da hortaliça"?

Veja o que aconteceu com ele e saiba o que isso tem a ver com os cristãos

Havia um homem que enfrentava um momento de miséria em sua vida. Ele havia perdido o emprego e precisou vender uma vaca e algumas galinhas que lhe proporcionavam um pouco de mantimento – eram os únicos bens que lhe haviam sobrado.

Contudo, certo dia, sem ter mais como se alimentar, pensou sobre o que poderia ser feito para saciar a fome.

Olhando para o quintal do vizinho, percebeu que existia uma plantação de legumes e verduras. Então, logo veio à sua cabeça a ideia de pular o muro e roubar uma quantidade de alimentos que lhe permitisse fazer uma sopa. E foi o que ele fez.

Porém, após ter se alimentado, o homem sentiu remorso e orou para Deus pedindo perdãopor ter roubado o vizinho.

Mas o remorso não foi o suficiente, porque, no segundo dia de miséria, o homem – não aguentando mais o incômodo na barriga – novamente pensou sobre o que poderia fazer para matar a fome e lembrou-se da plantação. Pulou o muro e preparou uma sopa. Com remorso, orou para Deus pedindo perdão do erro que havia cometido.

No terceiro dia, a miséria persistia e o homem não conseguiu encontrar um novo emprego. Assim, colocou a mão na cabeça e refletiu sobre como faria para passar mais um dia sem comida. Novamente veio à sua memória a hortaliça do vizinho. Outra sopa. Outra oração pedindo perdão.

Depois de uma semana roubando os legumes e as verduras do vizinho, o homem orou novamente a Deus, enquanto olhava para o prato de sopa, e disse: “Senhor, perdoa-me por eu ter roubado o meu vizinho hoje... e amanhã... e depois de amanhã também.”

Conclusão: os dias seguintes ainda nem tinham acontecido e o homem já estava pedindo perdão pelos pecados futuros.

O pecado não pode se tornar um hábito

Quando uma pessoa entrega a sua vida para o Senhor Jesus e se batiza nas águas, deixa para trás toda a vida de erros e pecados que cometeu e começa uma nova fase sob a orientação de Deus.

Porém, algumas pessoas, mesmo alegando terem entregado a vida para o Senhor, continuam a fazer o que agrada os espíritos malignos. E, assim como o homem da história, dia após dia comentem pecados e buscam o perdão de Deus. Não conseguem realmente “morrer para o mundo”. Não resistem às tentações.

Contudo, é preciso atenção, pois, quando os escribas e fariseus levaram uma mulher surpreendida em adultério e pediram para que o Senhor Jesus a julgasse, Ele devolveu dizendo:“Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra.”

E aqueles homens desistiram de apedrejá-la, porque foram acusados pela própria consciência. Então, ficando somente o Senhor Jesus e a mulher, Ele perguntou: “Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?” Assim, ela respondeu: “Ninguém, Senhor.”

Ao concluir, Jesus disse: “Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.”

Portanto, Deus é misericordioso para perdoar aqueles que O buscam, mas é preciso que, depois disso, a pessoa abandone totalmente o pecado.

Se você errou e não tem forças para voltar a ter comunhão com o Criador, não desanime. Ele está de braços abertos para lhe receber e transformar a sua vida para melhor. Por isso, não perca tempo, participe hoje mesmo de um encontro na Universal mais próxima de você.

Caso você precise falar com um bispo ou pastor sobre o que está enfrentado, acesse agora mesmo o Pastor Online.

Fonte: http://www.universal.orgl

Universal responde ataque de deputado federal

Jean Wyllys faz comentários difamatórios sobre o projeto Gladiadores do Altar

Nas últimas horas, circulam em alguns portais e por redes sociais interpretações absurdas sobre o projeto Gladiadores do Altar. Como do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), que sugeriu que a Universal do Reino de Deus é “o monstro que emerge da lagoa” e especulou que há risco de “executar os ‘infiéis’ e ateus e empurrar os homossexuais de torres altas como vem fazendo o fundamentalismo islâmico no Oriente Médio”.
Ou o portal Sul21, que acusou o projeto Gladiadores de difundir “rituais praticados pelo exército de Hitler na época do Nazismo, ou mais atualmente pelo Estado Islâmico”.
O deputado federal Wyllys, que iniciou cruzada pessoal pela Internet contra os Gladiadores do Altar, havia afirmado em seu perfil na rede social Instagram, há duas semanas: "A burrice motivada é a falta de vida com pensamento; a burrice motivada e o ódio são, quando combinados, o fascismo e estão fazendo emergir o pior das pessoas nas redes sociais digitais e fora delas.
Ao tecer o comentário sobre os Gladiadores, ele contradisse sua própria afirmação, unindo seu ódio à burrice motivada e fez uma avaliação sobre um projeto do qual nada sabe a respeito, e sequer procurou saber antes de publicar tal injúria.
Tivesse o político-jornalista e os sites e portais que difamaram o projeto nas últimas horas praticado o fundamento básico do Jornalismo, que exige a averiguação dos fatos, teriam constatado que:
1.       Gladiadores do Altar é um projeto da Igreja Universal do Reino de Deus de orientação e formação de jovens vocacionados para a propagação da Fé Cristã, que funciona desde janeiro de 2015.
2.       A disciplina que o projeto Gladiadores oferece aos seus membros é apenas aquela espiritual.
3.       Seus membros são voluntários da Força Jovem Universal, programa social que conta com milhões de jovens em todo o Brasil e em outros países e que desenvolve atividades culturais, sociais e esportivas para auxiliar no resgate e amparo de populações de rua, viciados, jovens carentes e em conflito com lei.
4.       A Força Jovem também promove campanhas de doação de sangue, de alimentos, roupas e livros para comunidades carentes e para clínicas de recuperação.
5.       Realiza ações de conscientização e cidadania – como o incentivo ao jovem que obtenha o título de eleitor.
6.       Oferece cursos profissionalizantes gratuitos a pessoas carentes e as encaminha ao mercado de trabalho.
7.       Apoia socorristas em situações de emergência e tragédias, com a entrega de água, alimentos e outros materiais necessários.
Buscar uma motivação violenta ou condenável em jovens uniformizados que marcham e cantam unidos em igrejas é tão absurdo quanto enxergar orientação fascista em instituições como o "Exército da Salvação" e o Movimento Escoteiro, ambas organizações mundiais com base cristã e que, como a Universal, também se utilizam a analogia militar de forma positiva e pacífica.
Os interessados em obter mais informações sobre os Gladiadores do Altar estão convidados a entrar em contato com a Universal.

Fonte: http://www.universal.orgl

segunda-feira, 2 de março de 2015

Por que o Senhor Jesus precisou ser batizado?

A Sua manifestação aqui na Terra, antes de morrer, ressuscitar e ser glorificado, era exclusivamente humana, como qualquer um de nós

 

Para que possamos entender a respeito da necessidade do Senhor Jesus ser batizado, tanto nas águas por imersão como no Espírito Santo, é preciso que se saiba que Ele veio a este mundo da mesma maneira como todo ser humano, com apenas uma grande diferença: Ele foi gerado no ventre da virgem Maria por obra e graça do Espírito Santo.

A Sua manifestação aqui na Terra, antes de morrer, ressuscitar e ser glorificado, era exclusivamente humana, como qualquer um de nós; tanto é, que encontramos nas descrições dos evangelistas referências do Senhor Jesus como o Filho do homem mostrando as Suas necessidades humanas como: cansado da viagem... (João 4.6), sedento... (João 4.7), dormindo sobre o travesseiro... (Marcos 4.38), chorou... (Lucas 19.41). Tudo isto apresenta Jesus como puramente humano e que precisava de condições especiais para sobrepujar os desejos da Sua carne e exercer o Seu ministério, pelo qual Ele veio. Daí, era imprescindível que recebesse tanto o batismo nas águas quanto o batismo com o Espírito Santo, o que lhe aconteceu quando tinha trinta anos de idade e, consequentemente, veio capacitá-lo para dar início ao Seu ministério terreno.

Bem, se o próprio Senhor Jesus precisou ser batizado, tanto nas águas como no Espírito Santo, para iniciar o Seu ministério, quanto mais nós que temos cometido tantas falhas, erros e pecados!

O batismo dos apóstolos

Todos ficamos perplexos ante as atitudes dos apóstolos diante do Senhor, quer de Judas Iscariotes que foi quem O traiu, quer de Pedro que O negou três vezes antes de o galo cantar, quer de Tiago e João que perguntaram ao Senhor se podiam descer fogo do Céu para consumir os samaritanos. Cada um cometeu pelo menos uma gafe diante do Senhor Jesus, e quando mais o Senhor precisou deles, fugiram deixando-O só. E não obstante, ainda assim continuaram sendo chamados de apóstolos do Senhor, com exceção, naturalmente, de Judas Iscariotes, é claro.

A pergunta é: o que os fez mudar de atitude para se transformarem na base da Igreja primitiva e com coragem e fé enfrentarem desafios da própria morte, sendo torturados, passando pela prova de escárnios e açoites, de algemas e prisões, apedrejados, serrados ao meio, mortos ao fio da espada, peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados, errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas e pelos antros da Terra? Só existe uma única resposta: o batismo do Espírito Santo os capacitou para enfrentarem todos estes desafios e, ainda assim, prevalecerem pelo poder da fé que o batismo no Espírito proporciona.

Na realidade, quantos são os cristãos que por muito menos têm deixado a fé para seguir o curso deste mundo vil? Quantos são aqueles que desertaram por causa do calor da provação? Os apóstolos suportaram tudo isto por causa do inundar do Espírito de Jesus que estava sobre eles: logo após a ressurreição do Senhor e Sua aparição entre eles no Cenáculo, o Senhor Jesus soprou o Espírito Santo sobre todos, que até então não O conheciam e, a partir deste momento, vieram a tornar-se verdadeiros instrumentos do poder de Deus.

(*) Texto retirado do livro "O Espírito Santo", do bispo Edir Macedo.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

O cristão deve guardar o dia de sábado?

Deus fez o mundo em 6 dias e no sétimo descansou

Imagine se todo o mundo tivesse de descansar exatamente no dia de sábado. Hospitais, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia, profissionais da área da saúde, enfim, todos os serviços públicos urgentes estariam literalmente paralisados. E se neste dia houvesse um acidente ou qualquer catástrofe? Como socorrer os acidentados? Como apagar os incêndios? Como atender uma mulher que vai dar à luz? Deveria esperar até o domingo?

A Bíblia diz:

"E acrescentou: O sábado, ou o sétimo dia, foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado, ou do sétimo dia." Marcos 2.27

Deus fez o mundo em 6 dias e no sétimo descansou. Ele não mandou guardar o sábado e sim o sétimo dia. O sétimo dia para uns não o é para outros. Se começarmos a trabalhar no domingo, então o sétimo dia será o sábado. Se começarmos a trabalhar na segunda-feira, então o sétimo dia será no domingo, e assim por diante. Isto é, o sétimo dia de descanso pode ser qualquer dia da semana. Não necessariamente no sábado.

E Deus fez assim justamente porque já sabia que seria impossível todos guardarem um mesmo dia. Esse raciocínio é a fé unida à inteligência. Só isso!

Jesus curou num dia de sábado e ainda deixou uma pergunta para os hipócritas: "Se sua ovelha cair em um buraco num dia de sábado, por acaso não vai socorrê-la só porque é sábado?"

Fonte: http://www.universal.org

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin