domingo, 23 de fevereiro de 2014

Conheça o significado da Arca da Aliança de Deus

 

Arca da Aliança de Deus

A Arca da Aliança talvez seja o mais famoso item entre os artefatos do Tabernáculo, do Templo de Salomão e do Templo de Herodes. O grande baú de madeira revestido de ouro foi feito segundo as instruções de Deus, que encarregou Moisés de fabricá-lo pelas mãos de Bezalel, o artífice-mor dos hebreus na época.

Em seu interior, eram guardados objetos sagrados para os hebreus: a vara de amendoeira de Arão que floresceu e frutificou (Números 17.8), um pote de maná e as tábuas dos Dez Mandamentos. Mas a Arca não era meramente um baú, como veremos. Representava o próprio Deus entre os homens.

Feita em madeira de acácia, era coberta de ouro por dentro e por fora. Sobre sua tampa, chamada Propiciatório, foi feita em ouro uma peça contendo dois querubins frente a frente, que se curvavam para o meio da tampa em adoração, apontando suas asas para o local. Era entre esses dois anjos que Deus se manifestava para os sacerdotes que oravam de frente para o baú, posto em um altar também de madeira e ouro, dentro do Santo dos Santos do Tabernáculo ou do Templo.

Nas suas laterais, havia quatro argolas de ouro, nas quais se enfiavam duas varas também de acácia e ouro, para o transporte. Somente os sacerdotes levitas podiam tocar e transportar a peça.

Segundo o texto bíblico, se a Arca fosse tocada por levitas e sacerdotes não puros, esses morriam fulminados. Os filisteus a roubaram uma vez, como saque de guerra, e a puseram no templo dedicado ao falso deus Dagom. Não só o ídolo da entidade pagã foi achado caído e quebrado, como constrangedoras doenças afligiram aquele povo, fazendo com que a devolvessem a Israel.

A Arca da Aliança entre Deus e o povo de Israel funcionava também como um estandarte de guerra, que ia à frente dos guerreiros, mostrando que o Senhor estava no comando. Confiando nisso, os combatentes hebreus dobravam em força e entusiasmo.

O objeto recebeu outros nomes na Bíblia: Arca do Senhor (Josué 4.11), Arca de Deus (1 Samuel 3.3), Arca do Testemunho (Êxodo 25.22), Arca da Tua Força (Salmo 132.8) e Arca Santa (2 Coríntios 35.3).

Paradeiro misterioso

Quando o Templo de Jerusalém foi finalmente destruído pelos romanos, seus objetos foram saqueados e levados para Roma. Entretanto, não há registros de que tenham levado a Arca da Aliança com eles.

Não se sabe ao certo seu paradeiro. Uns dizem que os israelitas a tiraram quando perceberam a iminente destruição e a esconderam nos túneis sob a cidade, depois levando-a para outro local. Fontes não bíblicas também dizem que foi colocada numa caverna do Monte Nebo, depois lacrada, sem que tenha sido marcado o local. Outra versão diz que está guardada em uma igreja na Etiópia, para onde foi levada por aquele que seria não só o imperador local como o filho de Salomão e da Rainha de Sabá, Menelik I.

A procura pela Arca foi explorada ficticiamente no cinema pelo norte-americano George Lucas, no filme “Os Caçadores da Arca Perdida” (1981), em que o arqueólogo Henry “Indiana” Jones (Harrison Ford) foi ao encalço do baú sagrado dos hebreus antes que ele caísse em poder dos nazistas na década de 1930. Embora o filme (foto ao lado) cometa certos erros históricos e seja uma bem livre adaptação, ajudou a tornar a Arca da Aliança mais conhecida até pelo público não cristão.

Mesmo que a Arca da Aliança tenha sua grande importância histórica e simbólica, hoje sabemos que a Aliança entre Deus e o ser humano não se baseia em locais ou objetos. Como templos do Espírito Santo que somos (1 Coríntios 6.19), é em nós que Ele habita, desde que O aceitemos como nosso Senhor por intermédio de Seu Filho, Jesus Cristo. 

FONTE: www.universal.org/

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

6 Super dicas para ler a Bíblia

6 super dicas para ler a Bíblia

Seis Dicas Para Ler a Bíblia

Há diversas formas de se olhar para o texto bíblico. Por ser um Livro com milhares de anos de existência e que traz em seu conteúdo verdades de fé, é possível lê-lo de várias maneiras.

É claro que estas aqui apresentadas não são as únicas, mas procuramos apresentá-las de maneira complementar – uma não exclui a outra – e todas elas podem se mostrar válidas aos seus objetivos.

Confira 6 planos para a leitura da Bíblia:

1°) Leitura Literária – Faça da leitura um hobbie.

2°) Leitura Histórica – Compare os fatos bíblicos com a História Geral.

3°) Leitura Devocional – Procure se concentrar nas verdades reveladas; acima de tudo, são estas verdades que Deus quer lhe falar.

4°) Leitura Técnico-pastoral – Lembre-se sempre que a Palavra de Deus é soberana, assim tenha uma atitude humilde de buscar somente o que o próprio texto diz e nunca levar convicções pessoais ao texto.

5°) Leitura Crítica – É fundamental neste nível de leitura que não se despreze nenhum recurso disponível na obtenção da verdade e dos argumentos originais.

6°) Leitura Apologética – Sendo este o caso, é importante conhecer os conceitos e doutrinas do oponente para que se busque textos que afirmem diretamente as verdades doutrinárias que se deseja enfatizar.

Estude a Palavra de Deus, não apenas leia. Faça breve meditação em textos que você irá ler e ore à Deus pedindo entendimento e discernimento à respeito do que foi lido, assim você terá consciência do que o Senhor quer para tua vida

Seja qual for seu objetivo ou motivo, leia sempre a Bíblia.

Logo a fé vem pelo ouvir, e o ouvir vem pela palavra de Cristo.

(Romanos 10:17)

Fonte: www.universidadedabiblia.com.br

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Natal e o cristão: participar ou não?

familia-natal

Nesta época do ano muitos cristãos se veem entre a cruz e a árvore de Natal. Para quem não sabe, Natal NÃO é uma celebração estritamente cristã. Por isso, quem tem familiares e amigos que celebram essa festa pagã fica em um grande dilema: “Agrado os outros e desagrado a Deus ou agrado a Deus e desagrado os outros?”

Ressalto que se você se considera cristão de fato, comemorar o Natal por iniciativa própria não faz sentido. Digamos que você e sua família são todos cristãos, mas gostam da ideia de ter uma árvore de Natal, trocar presentes e observar outros costumes da época. Isso é claramente contrário à sua fé. Seria como o povo de Israel, depois de sair do Egito, celebrar uma festa egípcia porque “era legal”. Então, se a escolha é sua, a resposta é simples: não participe.
Mas o que fazer se você está num círculo familiar ou social que espera sua participação?
Seu marido gosta, seu chefe lhe convidou para a confraternização no escritório, seus pais fazem aquela festa em casa todo ano com a família… Todos eles esperam que você se envolva. O que fazer? Se enfiar no quarto e fingir uma depressão? Dizer que vai passar o dia lavando o cabelo? Ou usar o clássico: “a minha religião não permite”?
Vamos usar a inteligência.
Aqui você deve entender o equilíbrio entre seus deveres e sua consciência cristã. Deixe-me explicar usando uma história bíblica como exemplo de situação bem semelhante.
Em 2 Reis 5 lemos a história de Naamã, comandante do exército do rei da Síria que foi curado em Israel ao consultar o profeta Eliseu. Extremamente grato pela cura, Naamã decidiu não mais servir aos outros deuses de seu país, mas somente ao Deus de Israel que lhe havia curado. Mas havia um problema, como você lê no trecho da conversa entre Naamã e Eliseu:
Nunca mais oferecerá este teu servo holocausto nem sacrifício a outros deuses, senão ao SENHOR.
Nisto perdoe o SENHOR a teu servo; quando o meu senhor entra na casa de Rimom para ali adorar, e ele se encosta na minha mão, e eu também me tenha de encurvar na casa de Rimom, quando assim me prostrar na casa de Rimom, nisto perdoe o SENHOR a teu servo.
Eliseu lhe disse: Vai em paz. (v. 17-19)
A profissão de Naamã exigia que ele acompanhasse seu chefe quando este fosse ao templo do deus Rimom e o ajudasse quando se inclinava para adorar seu deus. Consequentemente, aquele serviço resultaria em Naamã se curvando também diante daquele deus — mas com uma diferença: agora não mais para adorá-lo e sim para prestar assistência ao seu chefe.
Aquilo lhe fazia se sentir mal o suficiente para pedir perdão a Deus (sua consciência pesava), mas ele tinha de cumprir sua função de soldado.
Eliseu o abençoou e assegurou que ele poderia ir em paz. Não condenou sua postura diante do problema. Certamente, se houvesse algo errado, Eliseu não o abençoaria. Afinal, não era errado prestar assistência ao seu chefe. O errado seria adorar o deus falso.
Da mesma forma, pense em sua função familiar, seja ela de esposa, marido, filho, ou irmão; e em sua função profissional. Você deve, pelos deveres de sua função, acompanhar, agradar ou dar assistência à outra pessoa que espera sua participação em uma comemoração natalina? Então cumpra seu dever para com ela. Faça sua parte por ela, não pelo espírito e tradição do Natal.

Mas se você não tem tal responsabilidade, então fique livre para não participar.
Agindo com equilíbrio e consciência, você poderá cumprir seu papel com Deus e com pessoas que não são da sua fé.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Os Bons conselhos da Bíblia

Leitura diária ajuda na realização do que queremos para nossas vidas

Ler a Bíblia

Hoje em dia, a rapidez da vida moderna nos impõe decisões, às vezes, “inadiáveis”. Em virtude dos problemas, nem sempre podemos contar com respostas na ponta da língua para os obstáculos que, inevitavelmente, vão surgir em nossos caminhos. A tendência natural, em razão disso tudo, é que o homem se preocupe somente com o que é material e, muitas vezes, esqueça que para estar em equilíbrio necessita estar bem com o lado espiritual.

Há inúmeros livros que falam sobre esse assunto, mas apenas um deles é realmente eficaz: a Bíblia. Nela é possível encontrar o caminho para viver bem, por meio da Palavra de Deus.

Ler uma passagem bíblica, diariamente, é um exercício pequeno, mas que traz grandes benefícios, pois ali encontramos alento e inspiração para enfrentar as adversidades. O hábito de ler a Bíblia enriquece a vida, clareando as nuvens que envolvem o cotidiano. Outro efeito imediato é o fortalecimento da fé e da ligação espiritual com Deus.

Bíblia leitura

O bispo Edir Macedo afirma que os que creem e se entregam, e se sacrificam pela sua crença, pelo seu compromisso, pelo seu relacionamento com Deus, obrigatoriamente, recebem milagres dEle: “A Bíblia ensina que a fé não tem nada a ver com a emoção ou com os sentimentos. Ela tem a ver com a razão, com a inteligência. No que diz respeito à fé, o relacionamento, ao invés de ser direcionado ao ser humano, é direcionado a Deus, ao criador”, explica o bispo.

Para concluir, ele destaca que a grandeza de Deus é tão suprema que, por meio da fé, esse Deus se materializa aqui na Terra, por meio das aspirações: “A leitura bíblica ajuda nesse sentido, pois nós trabalhamos com ideias, com uma visão da grandeza de Deus, que é Pai e, como todo pai, quer o melhor para seus filhos. Mas acreditar em nosso Deus vai além apenas de um crédito. Há um compromisso em assumir essa crença para que sacrifiquemos e, a partir daí, Deus nos dê aquilo que pedimos. Deus inspira, mas nós temos que executar.”

FONTE: http://www.universal.org/

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O BANCO DO VATICANO É O PRINCIPAL ACIONISTA DA MAIOR INDÚSTRIA DE ARMAS DO MUNDO

 

Talvez poucas pessoas saibam que Pietro Beretta fábrica Ltd. (e a maior indústria de armas do mundo) e é controlada pela Holding SpA Beretta e o acionista controlador da Beretta Holding SpA Ugo Beretta após Gussalli é o IOR (Instituto para as Obras de Religião [vulgarmente conhecido como Banco do Vaticano]) instituição privada fundada em 1942 pelo Papa Pio XII, com sede na Cidade do Vaticano. A história por trás disso é a seguinte:

Roma não foi construída em um dia, nem o Vaticano, menos o seu patrimônio presente. Eles tem suas raízes no século IV da era cristã, quando o imperador Constantino se converteu ao cristianismo e disponibilizou para o Papa Silvestre I uma colossal fortuna, na verdade se transformou no primeiro Papa rico na história.

A Igreja Católica é a única organização religiosa no mundo que tem como uma sede independente do estado: Cidade do Vaticano, com 2 km2 de superfície o Vaticano é muito menor do que muitos campos de golfe do mundo, e para segui-lo lentamente não vai precisar de muito mais precisará de mais que um dia, para contar suas riquezas.

A riqueza moderna Vaticano confia na generosidade de Benito Mussolini , que, graças à assinatura do Tratado de Latrão entre o seu governo e o Vaticano, obteve a concessão para a Igreja Católica a uma série de salvaguardas e medidas de proteção. A “Santa Sé” teve que ser reconhecida como um Estado soberano, o benefício da isenção fiscal de sua propriedade para o benefício dos seus cidadãos, que tinham de pagar direitos assim importando do exterior. Foi-lhe concedido imunidade diplomática e diplomatas começaram a desfrutar de pós-privilégios da profissão, bem como diplomatas estrangeiros acreditados junto da Santa Sé. Mussolini prometeu introduzir o ensino da religião católica em todas as escolas do país e deixar que a instituição do casamento sob o patrocínio do direito canônico, que não admitia o divórcio. Os benefícios eram enormes dado o Vaticano, incluindo benefícios fiscais, que eram dominantes.

Em 1933, o Vaticano, mais uma vez demonstrou a sua capacidade de se envolver em negócio lucrativo com os governos fascistas. No 1929 concordata assinado com Mussolini, foi seguido por um outro entre a Santa Sé e o 3 º Reich de Hitler. O gerente de Francesco Pacelli foi uma das figuras-chave do pacto com Mussolini, seu irmão Cardeal Eugenio Pacelli, futuro Papa Pio XII, foi encarregado de negociar como Secretário de Estado do Vaticano, o tratado com a Alemanha de Hitler.

Pio XII sabia Alemanha também. Foi núncio em Berlim, durante a Segunda Guerra Mundial e, em seguida, como Secretário de Estado de Pio XI, havia inúmeras aparições antes do curso que estava tomando a política alemã. Nessa qualidade, ele interveio decisivamente na encíclica de Pio XI, conhecido como “Mit brennender Sorge” (que se traduz “como ardente preocupação”).

A iniciativa da esquerda encíclica, ao contrário da crença popular, dos bispos alemães, fez com que o primeiro rascunho fosse escrito em Roma pelo Cardeal Faulhaber. O então cardeal Pacelli, que dominou o alemão deu forma final, apresentado a Pio XI, foi assinado e publicado. Apesar da pressão constante e grande mundo, o Papa Pio XII sempre se recusou a excomungar Hitler e Mussolini, a sua pontificado foi marcada pela adoção de uma falsa postura de neutralidade. Quando os nazistas invadiram a Polônia, Pio XII recusou-se a condenar a invasão, uma das maiores vantagens que o Vaticano iria ficar em um negócio muito lucrativo que teve com Hitler foi a confirmação Kirchensteuer, ou imposto de igreja, é um imposto estadual que ainda hoje deve pagar os crentes alemães, e só pode escapar se renunciar à sua religião. Na prática, são muito poucos os que renunciam a ela. Este imposto só representa entre 8 e 10% do total do imposto arrecadado pelo governo alemão.

Um estado que se denomina ”cristão” e que é contra a guerra ser acionista da maior empresa de armas do mundo, podemos chamar isso e concluir em uma tremenda hipocrisia.

Fonte: Youtube e http://igrejatube.com/?p=3450

domingo, 27 de outubro de 2013

SALVAÇÃO - Você está preparado?

A vinda do Senhor Jesus será imprevista como o ladrão da noite.

Ora, quem sabe quando o ladrão virá? Assim também será a vinda do Senhor. Será repentina, inesperada; pegará o mundo de surpresa assim como o maremoto que dizimou quase 300 mil pessoas na Ásia no final de 2004. Quem imaginava tamanha calamidade? Podia-se pearrebatamentonsar em tudo, menos naquela catástrofe…

O Dia do Senhor será assim: primeiro, glorioso para os que morreram em Cristo, incluíndo as crianças inocentes. Todos esses ressuscitarão para o encontro com o Senhor nas Nuvens. Depois, os seguidores do Senhor Jesus, juntamente com as crianças inocentes, serão arrebatados para o encontro com o Senhor nos ares (1 Tessalonicenses 4.13-17).

As consequências do arrebatamento para o mundo serão inimagináveis. Imagine o desaparecimento simultâneo de todas as crianças inocentes! Como  reagirão seus pais e entes queridos? E quanto aos que têm fé? Imagine transportes coletivos sem seus condutores! Aviões sem seus pilotos, trens sem maquinístas, embarcações, automóveis, ônibus, caminhões, carretas; enfim, muitos meios de transportes se movendo totalmente desgovernados! Isso sem falar dos controladores de aviões e trens cristãos, que desaparecerão sem aviso prévio.

Além disso, e o pior de tudo, é que o Espírito Santo também não estará mais no mundo. Assim sendo, quem convencerá os pecadores? Quem vai consolar os que ficarem sem seus entes queridos?

O fato é que a vinda do Senhor Jesus Cristo será gloriosa para os Seus servos, mas uma catástrofe incalculável para os que ficarem.

O profeta Isaías diz:

Eis que vem o Dia do Senhor, dia cruel, com ira e ardente furor, para converter a terra em assolação e dela destruir os pecadores” (Isaías 13.9)

Para se ter uma ideía mais realista, basta meditar sobre os seguintes versículos: Isaías 2.12; 13.6, Ezequiel 30.3, Joel 1.15; 2.1, 11; 2.31, 3.14, Amós 5.18, 20, Obadias 1.15, Sofonias 1.14, Zacarias 14.1, Malaquias 4.5 e 2 Pedro 3.10.

O Senhor Jesus fala desse dia através da parábola das dez virgens (Mateus 25.1-13).

Comprove: quase todos os profetas situam a vinda do Senhor como um dia de julgamento. Não julgamento diante do Trono Branco, mas o julgamento diante de todas as nações, quando o Senhor Jesus Cristo mesmo vai separar os que são da Luz dos que são das trevas. E aí haverá gritos de dor, gemidos e terror entre os que ficarem…

E você, tem estado preparado para esse Dia?

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina