sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Símbolos do Espírito Santo

Os objetos mais simples foram usados por Deus para fazer liberar a fé das pessoas, mas de forma alguma servem para ser objeto de adoração

Da mesma forma como os nomes  variados identificamos trabalho do Espírito Santo nas pessoas regeneradas pela fé no Seu Santo Filho Jesus, também, através dos muitos símbolos, Ele Se faz representar.

E por que Deus usa símbolos para fazer-Se representar? Por que não utiliza imagens de escultura que são muito mais lógicas? A verdade é que: "Deus é espírito; e importa que os Seus adoradores O adorem em espírito e em verdade." João 4.24

Se, por acaso, Deus permitisse que as pessoas utilizassem imagens para O adorar, então, já não creriam pela fé, mas pelos seus próprios sentidos. E óbvio, que se alguém se curva diante de uma imagem, está focalizando a sua fé naquilo que está vendo; no que pode tocar com as mãos, ver com os olhos. Logo, a sua fé torna-se inválida, pois a definição de fé é: "Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam a convicção de fatos que se não veem." Hebreus 11.1

Se é a certeza de coisas que se esperam, como pode a pessoa ter fé em algo que está na sua frente? Como terá convicção de algo que não vê se diante dela está uma imagem esculpida?

Além do mais, ainda que Deus permitisse que se fizessem imagens para a Sua adoração, quem teria a capacidade de fazer a imagem de Deus? Ora, todo mundo sabe perfeitamente que as pessoas que trabalham com qualquer tipo de arte dependem de inspirações, e estas muitas vezes são criadas através dos variados tipos de tóxicos.

Veja, por exemplo, Miguel Ângelo foi um tremendo beberrão; quando pintou os tetos da Igreja Romana, estava totalmente embriagado. E também como poderia Deus permitir que alguém esculpisse a Sua imagem usando material perecível?

Quer dizer: é uma verdadeira barbaridade acreditar que Deus possa ser representado por imagens feitas pelas mãos de pecadores. Ele mesmo afirmou pelo profeta Isaías:

"Com quem comparareis a Deus? Ou que coisa semelhante confrontareis com Ele? O artífice funde a imagem, e o ourives a cobre de ouro e cadeias de prata forja para ela. O sacerdote idólatra escolhe madeira que não se corrompe e busca um artífice perito para assentar uma imagem esculpida que não oscile. Acaso, não sabeis? Porventura, não ouvis? Não vos tem sido anunciado desde o princípio? Ou não atentastes para os fundamentos da terra? Ele é o que está assentado sobre a redondeza da terra, cujos moradores são como gafanhotos; é Ele quem estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar; é Ele quem reduz a nada os príncipes e torna em nulidade os juízes da terra." Isaías 40.18-23

A simbologia é usada por Deus, porque jamais alguém vai desejar adorar a água, por exemplo, ou o vento, a chuva, o fogo. Além do mais, estes elementos simples ajudam as pessoas a liberar a verdadeira fé que está normalmente escondida dentro de cada uma delas. O Senhor Jesus usou de Sua saliva para fazer lodo e untar as vistas do cego, e depois o mandou lavar-se no tanque de Siloé para ser curado. Um simples ato de fé da parte do cego o fez enxergar; também o apóstolo Paulo usou seus lenços e aventais para curar e libertar os enfermos. Os objetos mais simples foram usados por Deus para fazer liberar a fé das pessoas, mas deforma alguma serviriam ou servem para ser objeto de adoração, porque isto deve ser exclusivamente em espírito e em verdade. Então, vejamos alguns símbolos do Espírito Santo:

1. Rios de água viva - João 7.38

2. Vento - João 20.22

3. Fogo - Êxodo 13.21

4. Óleo - Exôdo 29.7

5. Línguas - Atos 2.8

6. Orvalho - Salmos 133.3

7. Pomba - Mateus 3.16

8. Selo - 2 Coríntios 1.22

9. Chuva - Oséias 6.3

 

Fonte: http://www.universal.org/noticia/2015/02/02/simbolos-do-espirito-santo-20969.html

O Fim dos Tempos está mesmo próximo?

Os rumores de guerras têm aumentado, e fundador da Microsoft já fala em um governo mundial único

 

A despesa com armamentos aumentou 1,7% em escala mundial em 2014, conforme informou a agência de notícias espanhola EFE. Depois de 3 anos em queda, o investimento militar tornou a subir, principalmente pelo rearmamento dos países emergentes.

Mesmo com os Estados Unidos diminuindo suas despesas militares, países como a China e a Arábia Saudita aumentaram as suas, o que ocasionou o crescimento do rearmamento.

Especialistas no assunto disseram, segundo a EFE, que os riscos crescentes de ataques terroristas de extremistas islâmicos contribuíram para alimentar o medo dos países ocidentais, daí a compra de armas e a formação de novas tropas. Os mesmos especialistas dizem, entretanto, que somente combates bélicos não são suficientes, pois os métodos de organizações como o Estado islâmico atacam em outras frentes, como a da comunicação, no que diz respeito ao recrutamento de novos seguidores.

Para muitos já há uma guerra em andamento contra o terrorismo islâmico. E a Bíblia fala claramente que, no Fim dos Tempos, haverá rumores de guerras (Marcos 13.7). Embora esse trecho bíblico diga que o fim não é agora, deixa claro que ele se aproxima. A hora de se preparar é agora. Quem realmente é filho de Deus e se entregou verdadeiramente a Ele deve manter sua posição numa guerra que já foi declarada há milênios.

Bill Gates e o governo mundial único

A Bíblia também fala de um líder mundial que será levantado e perseguirá todos os que seguem a Deus (Marcos 13.9).

Pois bem, recentemente, o megaempresário norte-americano da informática Bill Gates, que se destaca pelas causas sociais e cuja fortuna é uma das maiores do planeta, disse, em uma entrevista a um jornal alemão, que a única forma de combater os problemas mundiais é um governo mundial único. O fundador da Microsoft diz que o mundo está preparado para guerras, mas sofre com as mudanças climáticas, a poluição, a fome, a miséria e as doenças, que nunca são solucionadas com os governos separados.

Em Apocalipse 13, é bem claro que um líder mundial carismático resolveria esses problemas, apoiado por aqueles que negariam o Senhor Jesus. Resolveria os problemas, mas a troco da Salvação dos cristãos verdadeiros, no que é chamado por muitos de a Grande Tribulação, o início do Fim dos Tempos.

Porém, o Apocalipse fala não só das profecias, mas de como podemos estar prontos para o arrebatamento, para a Salvação: caminhando com retidão, segundo os preceitos de Deus, ensinados pelo Senhor Jesus.

Você acredita que o Fim dos Tempos está mesmo próximo? Como tem agido em busca da sua Salvação? Deixe seu comentário a respeito disso e compartilhe esse alerta com seus amigos e familiares. O tempo pode ser breve.

Fonte: http://www.universal.org

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Você tem mesmo livre-arbítrio?

Entenda se todas as decisões da sua vida já foram ou não tomadas

Por: Andre Batista

Você sai de carro pela manhã, liga o rádio e sua consciência é livre para escolher a estação que desejar, certo? Errado. Pelo menos é isso o que mostra uma pesquisa realizada no Centro Bernstein de Neurociência Computacional, em Berlim, Alemanha.

De acordo com os resultados do estudo, antes de sua consciência “escolher” a estação de rádio, seu cérebro já sabia qual seria a escolha. Tomando o ponto de vista da pesquisa, o livre-arbítrio, optar por algo conscientemente, não existe, pois as decisões seriam tomadas pelo cérebro inconscientemente.

“Não sabemos até que grau de escolha e de ação isso acontece”, declarou o responsável pelo estudo, John Dylan-Haynes. “Ainda vamos precisar fazer muitas pesquisas.”

E o que a Bíblia diz?

Obviamente, os testes realizados em Berlim dizem respeito a pequenas escolhas entre algumas opções. O homem não é capaz de entender a forma como Deus age. Logo, entender o que é livre-arbítrio e como utilizá-lo é tarefa árdua.

Algumas pessoas acreditam na teoria do determinismo calvinista, linha de raciocínio surgida no século 16, que defende que Deus fez as opções pelo homem antes mesmo dele existir. Para essas pessoas, se Deus conhece o presente e o futuro, nenhuma escolha que o homem faça poderá mudar o que está por vir e, assim, não existe o livre-arbítrio, tudo está pré-determinado.

Não é isso, entretanto, o que a Bíblia nos mostra. Em diversas passagens é dado ao homem o poder de escolha, como no caso em que o faraó pôde optar entre seguir a Palavra de Deus, dita por Moisés, ou negá-la. O próprio Senhor lamenta, em Provérbios 48.18, as decisões tomadas pelos homens: “Ah! Se tivesses dado ouvidos aos Meus mandamentos! Então, seria a tua paz como um rio, e a tua justiça, como as ondas do mar.”

Deus nos deu livre-arbítrio para termos liberdade de pensar. “Ninguém pode amarrar o pensamento, mesmo que fosse colocado numa prisão ou vivesse num país de ditadura, atrás da cortina de ferro. Os pensamentos Divinos estão dentro de seu ser e permitem acesso ao Todo-Poderoso em qualquer lugar, sob quaisquer circunstâncias. Nenhum poder temporal mundano e nem o inferno podem impedir a comunicação com Deus”, diz o bispo Edir Macedo em uma de suas postagens no Facebook.

O homem possui, portanto, o direito de escolher. Mas também possui o dever de escolher sabiamente, “pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6.7).

Você tem usado o livre-arbítrio de maneira sábia?

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Por que muitos torcem o nariz para a Universal?

Talvez esse texto seja para você

O que não faltam são ladainhas para justificar os quilômetros de distância e o pânico de muitos em colocar os pés num templo da Universal. Desde o imaginário que sustenta a ideia de que os pastores são "ladrões" ao ódio declaradamente gratuito.

Mas normalmente o coro engrossa diante da expectativa comum sustentada pela ideia de que "Deus está presente em todo lugar" e de que não é preciso ir a essa ou àquela igreja, pois "igreja ou religião alguma salva. Quem salva é Deus".

Vamos por partes. Será que Deus realmente está em todo lugar? Seria Ele conivente e faria Ele parte da vida sórdida que você leva? Tolerável com sua vida dupla cercada de mentiras, regada a traições e toda a sorte de sentimentos ruins que você carrega? Creio que não.

Agora, um ponto para você: "placa" de igreja e religião realmente não são 100% de garantia no quesito Salvação, para ninguém. Basta olhar ao seu redor para tristemente observar a quantidade de beatas, carolas, religiosos, crentes fracassados e frequentadores dominicais de igrejas cheios de si mesmo e com zero por cento de Deus – é só um alerta.

Enfim, diante deste ou daquele motivo, há quem se beneficie de toda situação para se esquivar de se entregar a Deus. Classificam esse assunto como um "papinho cafona". Se escondem por detrás do álibi de que "Deus é misericordioso. Ele nos entende" – isso é o que importa. Há quem se considere esperto. Mas eu questiono: como pai, você seria tolerante com os erros mais bizarros dos seus filhos? Duvido. Por que então Deus, com mais de 7 bilhões de pessoas no mundo, seria?

O pior é que, não o suficiente, normalmente são esses que adoram julgar e criticar a postura de fé dos outros. São os chamados "críticos de plantão". Falar de dízimo? Incomoda. Ofertas? Incomoda. Igreja Universal? E o Templo de Salomão? Será que incomoda?

Encare a verdade

O fato de a Universal ensinar as pessoas a viverem de acordo com os moldes da Palavra de Deus e, principalmente, ensiná-las a pensar, ponderar e questionar, acende a fúria e a insatisfação de muitos.

Aprendemos a usar a fé inteligente para conquistarmos uma vida de qualidade e próspera. Questionamos e desafiamos a lógica e não apenas afirmamos – mas garantimos – que há cura para os vícios.

Ponderamos e damos valor a algo tão banal e desvalorizado em nossa sociedade: casamento e família. Buscamos a libertação de toda praga de doenças e males em nome da fé em que cremos. Aprendemos que apenas a obediência à Palavra de Deus nos é garantia. Como poderíamos aceitar que toda sorte de engano e uma vida submetida às nossas condições humanas nos levariam ao Altíssimo?

O jeito é encarar a verdade. Acredite, dói menos. Muitos não querem colocar a planta dos pés na Igreja porque, além de não quererem se enquadrar à disciplina que a Palavra de Deus orienta, não querem abandonar sua fé medíocre, frouxa e teórica para assumir uma fé sólida na prática. Ponto.

Caro (a) leitor (a), talvez você se esquive de ir à Universal graças ao preconceito nascido do "disse me disse" da mídia. Que tal ir a uma igreja mais próxima e tirar as suas próprias conclusões?

Gostando ou não, acreditando ou não, leia (e confira) o que a Palavra de Deus diz:

E daí? Se alguns não creram, a incredulidade deles virá desfazer a fidelidade de Deus?Romanos 3.3

Fonte: http://www.universal.org

O Espírito Santo: Fidelidade

Ser fiel dentro da igreja não é nada, pois é fora dela que o caráter é provado

É muito interessante cada particularidade da expressão do amor, porque podemos notar que em cada "fruto" que foi explanado até aqui há um complemento ao anterior, como se fosse fechando um círculo. Cada um na dependência do outro, e todos expressando somente um, que é o amor.

Não há amor sem que haja fidelidade, assim como não há fidelidade se não há amor, tendo em vista que a fidelidade faz parte do caráter leal do amor, razão pela qual a fidelidade é o amor em exercício.

O Espírito Santo tem permitido que passemos por tribulações mil, a fim de provar a nossa fidelidade para com o nosso Senhor Jesus. Um exemplo disso é exatamente os dízimos e ofertas, pois sabemos que os dízimos significam a fidelidade para com o Senhor. É claro que Deus não precisa dos dízimos, pois não come, não bebe, não paga aluguéis etc. Ele não precisa manusear dinheiro ou coisa parecida, porque é Espírito. Porém, quando alguém se propõe a obedecer a Sua Palavra e pagar os dízimos, está nada mais, nada menos do que reconhecendo Jesus como o Senhor de todas as suas coisas, isto é, que o Senhor lhe deu o que tem, e que por causa disto devemos devolver-Lhe a décima parte para o desenvolvimento da Sua Obra ou do Seu Reino aqui na Terra. Isto é fidelidade a Deus!

No que tange às ofertas, há uma grande diferença em relação aos dízimos porque se os dízimos expressam a fidelidade, as ofertas expressam o amor a Deus, pois não há obrigatoriedade; a pessoa dá oferta de acordo com o amor que tem para com Deus e à Sua Obra, espontaneamente. Mas aí surge uma pergunta: não são a fidelidade e o amor inseparáveis? Como pode haver então separação das ofertas e dízimos, se cada um expressa simultaneamente o amor e a fidelidade?

É fácil compreender este assunto, quando se exemplifica: muitas vezes, o cristão se torna legalista, isto é, procura obedecer à risca o que está escrito, sem no entanto se envolver espiritualmente ou colocar o coração no que faz para o seu Senhor. É o caso daquele que paga os dízimos com absoluta fidelidade e exatamente aquilo que representa os dez por cento do salário-bruto. Com esta atitude, ele declara o seu amor e fidelidade a Deus, "Porque está escrito, e deve obedecer"  (veja Josué 23.6).  Entretanto, porque ele cumpriu com o seu "dever" biblicamente, omite as ofertas, ou quando muito, contribui com alguma oferta que não lhe fará nenhuma falta, apenas "porque o pastor pede ou a sacola passa".

Na realidade, esta atitude, embora pareça correta diante da igreja e do pastor, distorce o espírito de amor, porque quando pagamos os dízimos, devemos fazê-lo cônscios de que amamos a Deus e à Sua criatura, e queremos vê-la salva o mais rápido possível, assim como um dia o fomos. Daí, a fidelidade nos dízimos torna-se um prazer em contribuir para o engrandecimento do Reino de Deus aqui no mundo. Quando somamos aos dízimos as ofertas, o nosso amor e paixão pelas almas perdidas tomam-se uma obsessão!

O Espírito Santo tem visto e assistido a fidelidade de cada um de nós, especialmente quando "as coisas não vão como esperamos". Porque é muito fácil demonstrar a fidelidade enquanto tudo vai bem, porém, quando o céu está escuro e a tempestade começa a desabar, quando todas as portas se fecham e ninguém procura estender a mão num gesto de solidariedade e somente o desespero é companhia, a nossa  fidelidade é provada e provocada. Porque ser fiel dentro da igreja não é nada, é fora dela que o caráter fiel é provado.

Meu amigo leitor, se você é cristão realmente e está passando por algum problema difícil, e que por ser tão difícil está abalando a sua fé e, consequentemente, a sua fidelidade para com Deus, saiba que o Espírito de Deus não o abandonou e está assistindo a tudo o que se passa com você, e de acordo com as Suas promessas:

"Os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os Seus ouvidos estão abertos ao seu clamor. (...) Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito oprimido." Salmos 34.15-18

Alguma coisa vai acontecer neste momento, se você O invocar de todo o seu coração. Portanto, não vacile, porque as nuvens, por mais negras que possam ser, mais cedo ou mais tarde desaparecerão. Fique firme!

"Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida." Apocalipse 2.10

(*) Texto retirado do livro "O Espírito Santo", do bispo Edir Macedo

FONTE: http://www.universal.org/noticia/2015/02/18/o-espirito-santo:-fidelidade-20922.html

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Por que Deus não me ouve?

Já se fez essa pergunta? Entenda melhor isso

Você deseja ardentemente algo. Pode ser uma coisa imediata, como uma cura, ou mesmo uma solução em médio prazo. Mas parece que nada acontece. Logo, você acha que está sendo ignorado. Que Deus lhe esqueceu, ou não se importa com você.

Mas pare para pensar: Deus não falha. Então, onde está o possível erro?

 

Veja algumas pistas:

  • Quando achamos que só porque oramos devemos ser atendidos, erramos feio. Deus não tem a menor obrigação de atender a uma oração e abençoar alguém que não se entregou verdadeiramente a Ele. Isso requer obediência (Salmo 5:12). A maioria confunde Seu amor incondicional com bênção incondicional. Vamos supor que você tenha pedido que Ele abençoe seu casamento. Antes disso, você e seu cônjuge dedicaram a união a Ele (Efésios 5.21-23)? Tornaram o Pai figura central no relacionamento, e não somente vocês dois?
  • Deus age no tempo dEle, não no seu. Ele é eterno. Sua ideia de tempo é bem diferente da nossa. Lembra do caso de Abraão? Deus prometeu um filho a ele. Mas Isaque nasceu muitos anos depois. Enquanto esperava pela bênção, Abraão manteve-se fiel a Deus, enquanto Sara tentou apressar as coisas com improvisos e causou problemas que perduram até os dias atuais para milhões de pessoas no mundo. Sara só via o agora, enquanto Abraão confiou em sua fé, de que seu filho viria, e obedecia. O tempo entre o querer e o ter é que prepara você para ter capacidade de manter a bênção quando ela lhe for concedida.
  • Esse caso de Sara nos lembra de que Deus trabalha no silêncio. Você já ouviu falar nisso. Quer ver outro caso? Na época do Êxodo, Deus falava ao povo por meio de Moisés. Um dia, o profeta subiu à montanha para que Deus lhe desse as tábuas com os Mandamentos. Enquanto ele estava lá em cima, o povo não sabia nada. Silêncio total de Deus. Como seu líder espiritual não voltava, o povo se cansou de esperar. Já que Deus não os atendia, então que tal procurar outro deus? Viu só o jogo interesseiro? Se um não lhe dá o que quer, procura outro? Fizeram um bezerro de ouro e o adoravam. Moisés desceu do monte e viu aquilo, enfurecendo-se e destruindo o bicho dourado. Depois, muita gente não entende o motivo de os hebreus terem padecido tanto tempo no deserto, sendo que oravam todos os dias pela Terra Prometida. Eles desejavam mais a bênção que a Deus, por isso não dava certo, até que as provações do deserto os fortaleceram e a entrega foi real. Aí, sim,cruzaram o rio Jordão e tomaram sua Canaã.

E você, acha que comete esses mesmos erros em sua vida? Ou agiu de outra forma e viu suas bênçãos acontecerem em um tempo bem menor? Deixe um comentário contando como foi e que resultados seu jeito de agir trouxe.

Aproveite para compartilhar esse texto com seus amigos e familiares. Talvez eles precisem fazer a parte deles para que também sejam abençoados. Talvez desejem muito algo, mas ainda não entenderam que antes a entrega a Deus é necessária.

Fonte: http://www.universal.org/noticia/2015/02/21/por-que-deus-nao-me-ouve-32194.html

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

50 tons de perversão

“50 tons de cinza” aumenta número de pessoas presas a objetos durante jogos sexuais em Londres

Por: Taís Gomes

Desde o Valentine’s Day (14 de fevereiro) – Dia dos Namorados nos Estados Unidos e em outros países –, um dos assuntos mais comentados é o lançamento do filme “50 tons de cinza”, inspirado no primeiro livro da trilogia de mesmo nome de E. L. James. O best-seller erótico ganhou leitores no mundo inteiro. Foram mais de 100 milhões de cópias vendidas, sendo traduzidas para mais de 50 idiomas.

Assim como os livros, que teriam mudado o comportamento de muitas mulheres – para pior –, o filme, lançado em quase 60 países, vem causando polêmica. Um dos cartazes de lançamento, por exemplo, convida o espectador a "perder o controle" (veja foto acima). Na China, Malásia, Indonésia e Quênia, o romance apimentado está vetado nas telas dos cinemas.

No enredo, o relacionamento entre um jovem milionário e uma universitária é baseado inteiramente na fantasia sexual. A jovem, que até então era virgem, se torna um objeto de desejo e depravação nas mãos do empresário bem-sucedido. A obsessão do protagonista é fruto de uma infância traumática de abuso e de ter crescido vendo a mãe no mundo da prostituição. Na busca incessante pelo prazer absoluto, o casal usa brinquedos eróticos, como algemas e chicotes, inspirados em ritos sadomasoquistas.

Jogos eróticos

Fora das telas, o longa tem influenciado casais que buscam “apimentar” a relação. Desde o lançamento do livro, o corpo de bombeiros de Londres, capital inglesa, percebeu o aumento de incidentes sexuais. A corporação até criou uma campanha nas redes sociais, intitulada “50 tons de vermelho” (no orginal, #FiftyShadesOfRed), pedindo que as pessoas tenham bom senso e alertando sobre o uso de jogos sexuais. Em 2013 e 2014, os bombeiros londrinos registraram mais de 470 ocorrências envolvendo pessoas presas ou enroscadas em objetos, entre eles algemas e anéis de dedo. Nos últimos 3 anos, o prejuízo das operações de salvamento em Londres teria ultrapassado a marca de 400 mil libras (R$ 1,7 milhão) por conta dessas ocorrências.

Segundo o autor do best-seller “Casamento blindado”, Renato Cardoso, o filme dita doutrinas e tem iludido solteiros e casados com a distorção do sexo. Leia aqui quais são esses “preceitos” citados no blog do autor pela americana Evelyn Higginbotham.

Durante o final de semana de estreia, o longa-metragem faturou em torno de US$ 94 milhões (cerca de R$ 266 milhões) só nos Estados Unidos, ultrapassando a estreia do filme “A Paixão de Cristo”, de 2004 (US$ 83,8 milhões).

O boicote

No entanto, o filme de grande audiência também recebeu críticas. A atleta norte-americana Lolo Jones, de 31 anos, por exemplo, escreveu em seu perfil no Twitter: “Engraçado como as pessoas acham que não há nada de errado com o ‘50 tons de cinza’. Deus não criou o sexo para este propósito. Assistam a outro filme”  (post original na foto ao lado).

A deputada federal Joy Smith, da província de Manitoba, no Canadá, está pedindo aos canadenses que boicotem o filme e doem o dinheiro dos tickets para ajudar mulheres que vivem em abrigos, vítimas de abuso sexual. Joy, que tem dedicado a sua carreira às vítimas de tráfico humano, alega que o filme apoia a humilhação, a degradação e o abuso físico e emocional da mulher. Para ela, as cenas que insinuam escravidão sexual e sadomasoquismo glamourizam a violência doméstica. “O filme tenta fazer com que isso seja um tipo de coisa normal”, disse a deputada.

Quer aprender a ter uma vida amorosa realmente plena? Saiba como participando daTerapia do Amor.

Fonte: http://www.universal.org

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin