sábado, 30 de abril de 2011

Morre nos Estados Unidos

     Pastor David Wilkerson

Pr.David WilkersonO pastor David Wilkerson, 79 anos, fundador da Times Square Church em Nova York, e autor de livros conhecidos como “A Cruz e o Punhal”, faleceu nesta quarta-feira em um acidente de carro numa rodovia do Texas. Ele perdeu o controle do carro e se chocou com um caminhão que vinha no sentido contrário.
Sua esposa Gwen também estava no carro e foi levada para o hospital juntamente com o motorista do caminhão. Não há notícias do hospital quanto ao estado de saúde deles.
A notícia do acidente começou a se espalhar rapidamente na noite de quarta-feira em sites de redes sociais como Facebook e Twitter. Rich, um primo de Wilkerson, confirmou a morte no Twitter. “Confirmo que meu querido primo David Wilkerson perdeu a vida num trágico acidente de carro esta tarde. Suas orações são necessárias neste momento”, escreveu ele.
Wilkerson postou em seu blog um artigo datado de 27 de abril – o dia da sua morte. Intitulado “Quando tudo mais falhar”, ele incentivou as pessoas que estão enfrentando dificuldades a “permanecerem firmes na fé”
“Para quem passa pelo vale da sombra da morte, ouça esta palavra: o choro vai durar por algumas noites escuras e terríveis, mas em breve você vai ouvir o sussurro do Pai: ‘Eu estou com você’. Amado, Deus nunca deixou de agir, sempre com bondade e amor. Quando tudo mais falhar, o seu amor ainda prevalece. Segure firme em sua fé. Permaneça firme na sua Palavra. Não há outra esperança neste mundo. ”A cruz e o punhal
Wilkerson passou a primeira parte do seu ministério trabalhando em Nova York com membros de gangues e viciados em drogas, conforme relatou em seu best-seller “A Cruz e o Punhal”.
Em 1971, iniciou o World Challenge, ministério que cuidava de suas cruzadas, conferências, evangelismo e outras atividades. Em 1987 fundou a Igreja de Times Square, que hoje é liderada pelo pastor Carter Conlon e tem mais de 8.000 membros.
Wilkerson também fundou o Desafio Jovem, um programa cristão para recuperação de jovens viciados. Ele deixou esposa, quatro filhos e 11 netos.
LEIA DEZENAS DE MENSAGENS DO PASTOR DAVID WILKERSON EM PORTUGUÊS: http://www.tscpulpitseries.org/portuguese

UM VIDEO IMPACTANTE…NÃO DEIXE DE VER.
DEUS TEM UMA MENSAGEM PARA VOCÊ NESTE VIDEO…NÃO DEIXE DE VER

Orientações para evangelização eficaz

 

Ao anunciar a Palavra de Deus, o lema de quem é cristão deve ser o mesmo proferido pelos apóstolos Pedro e Paulo: importa agradar a Deus e não aos homens (Atos 5.29; 1ª Tessalonicenses 2.4).

Todos os dias são dias de salvação (2ª Corintios 6.2). Porém, em Eclesiastes 3, a Palavra de Deus informa que existe tempo para tudo. O pregador está inserido na questão de usar o tempo oportuno para falar e também para ficar calado.

Efésios 5.16 e Colossenses 4.5 falam em remir nosso tempo. Ora, a recomendação aconselha a cada um de nós otimizar o espaço de 24 horas que Deus nos dá. Quem é cristão precisa ter em sua agenda diária um espaço vago para nunca deixar de transmitir a mensagem nº 1 entre todos os assuntos que estão em nosso coração ardendo para ser falado. Diariamente, o cristão deve informar a alguém que Jesus Cristo é Senhor e único Salvador da Humanidade. Apesar desse compromisso importantíssimo, antes de cumprir essa tarefa inadiável é preciso orar. Na oração, pedir a Deus chances de fazer parte de momentos de evangelização às almas perdidas, momentos que ocorram segundo a direção dEle.
Quando evangelizamos guiados por Deus, estamos caminhando e falando segundo o Espírito Santo, e com certeza transmitindo a mensagem conveniente no momento certo do dia de quem está espiritualmente perdido.
O evangelista deve ser inteligente. Quem evangeliza pode alterar os horários de sua agenda para transmitir as Boas Novas, mas jamais deve interferir e atrapalhar a agenda daqueles que recebem a mensagem evangelística, provocando prejuízos a eles. Jesus é manso e humilde, não é arrombador de portas. Se uma alma não dá ouvidos para você, então combine com ela um horário em que possa ouvi-lo.
Ratifico: Nunca deixe de pregar a Palavra de Deus. Mas também nunca deixe de orar antes de pregar, pedindo que o Senhor coloque-o e em situações convenientes para quem o ouvirá. Orações assim são respondidas, pois essa é a vontade divina para sua vida.
Alguns cristãos, além da inconveniência de falar fora do tempo, falam em lugar errado e com interpretação bíblica errada também. São anacrônicos exacerbados, sendo até insuportáveis em algumas situações. Quando confrontados dizem que sofrem perseguição religiosa.

.

Há alguns deles que fazem uso de textos bíblicos em causa própria. Citam Mateus 23.23, ou outros versículos similares, que contenham adjetivos negativos, para atacar desafetos. Porém, nenhuma de suas citações servem de constatação de um fato comprovável. Ninguém passa a ser lobo, mercenário, hipócrita, ou víbora, só porque alguém usou trechos bíblicos com esses termos. Tal ação é cabível até de processo judicial, pois poderá ser configurada como calúnia, injúria e difamação.

"Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte" - 1ª Pedro 4.15-16.

Enfim, Deus não é criador de confusão.

FONTE: http://www.ubeblogs.net/      -     Eliseu Antonio Gomes; UBE Blogs

domingo, 24 de abril de 2011

DROGA NA VIDA DEPOIS DOS 60.

Em geral, o abuso de drogas é relacionado à juventude. Não faltam pesquisas que mostrem o avanço do consumo de substâncias lícitas ou ilícitas dragando usuários cada vez mais novos. Mas, quando a dependência química é relatada na terceira idade, o cenário também se mostra desolador.
A dependência, associada a outras doenças degenerativas, é extremamente debilitante para os mais velhos. Isso quando o paciente consegue romper a faixa dos 60 anos.
De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, o álcool – a droga lícita mais consumida em todo o planeta – é responsável por 3,2% de todas as mortes registradas anualmente. O efeito devastador sobre a saúde do sujeito consome 4% dos anos de vida útil.
Na América Latina, esse desgaste chega a 16%. A projeção do Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) mostra que o brasileiro pode viver até 72 anos, em média. Não será o caso de quem abusa do álcool desde os 18 anos. Ele corre o risco de não chegar lá: a doença baixa a expectativa de vida para 60 anos.
Fim da linha ou recomeço?
O Hospital San Julian, em Piraquara, tem 350 pacientes internados. Vinte e dois deles têm mais de 60 anos. E o clima frio contribui para o aumento da procura dos pacientes mais velhos. "Eles dizem que a pinga ajuda a esquentar", explica a enfermeira Viviane Cristina Teixeira de Menezes. "Quadros depressivos também são comuns em pacientes idosos que apelam para a bebida", observa o psiquiatra João Carlos Scalzo, diretor clínico e técnico do hospital. O San Julian é a última fase do tratamento disponível no SUS. Quando o atendimento ambulatorial e de hospital-dia não deu conta da dependência do paciente, ele é encaminhado para atenção intensiva.
Efeitos
No organismo do idoso, o efeito do álcool é mais rápido. Há co-morbidades que complicam o tratamento e exigem da equipe de atendimento manejo diferenciado nas diversas etapas, como a abstinência e o uso da medicação adequada.
Déficits cognitivos
Memória afetada, dificuldade de concentração e de atenção, demências, transtornos de humor.
Reações patológicas
Cardiopatias alcoólicas, hipertensão e neuropatia, como dificuldades motoras, de equilíbrio e deslocamento. A dependência química na terceira idade ocorre, na grande maioria, por causa da bebida. É nesta faixa etária que o diagnóstico de alcoolismo está consolidado.
Muitas vezes o paciente adquiriu o vício ainda jovem ou na idade adulta, e o tempo só acentuou o comportamento nocivo. Ainda que seja a camada da população com maior índice de abstenção – de acordo com o I Levantamento Nacional sobre o Padrão de Consumo de Álcool na População Brasileira, divulgado pela Secretaria Nacional Antidrogas, divulgado em 2007 – o tratamento do dependente químico idoso requer manejo diferenciado e abordagem específica.
A Clínica Nova Esperança, em Curitiba, tem uma média de 9% dos pacientes internados acima de 55 anos. Assim como o doente adulto jovem, o idoso precisa ser avaliado de forma integral, considerando algumas particularidades. "É preciso observar a dimensão social desse paciente. Qual a rede de apoio familiar que ele dispõe para sua recuperação, sua condição de saúde em geral, patologias associadas e o que já é conseqüência do vício", explica o assistente social José Plínio do Amaral Almeida.
Além da abordagem cuidadosa, a administração da medicação precisa ser rigorosamente controlada. Isso porque além de interferir no controle das demais doenças existentes – cardiopatias e hipertensão, por exemplo –, corre-se o risco de contribuir para outros quadros de dependência química, ligada aos medicamentos. Ainda que o álcool seja o vilão número um do abuso de drogas na terceira idade, há casos de dependência de medicamentos, principalmente ansiolíticos.
Pílula azul
O farmacêutico Rubens Bendlin, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), chama atenção para outro tipo de medicamento que vicia e tem no idoso um consumidor de risco. Usados sem indicação médica e adquiridos no mercado negro – o que nem sempre garante sua procedência e qualidade –, os remédios para impotência sexual são um elemento novo na cartela de substâncias que provocam dependência nos mais velhos. "Já há casos de relatos de violência sexual dos homens idosos contra mulheres, netos e familiares, por causa do uso indiscriminado desses medicamentos", aponta. Outro reflexo desse comportamento é o crescimento da aids entre os mais velhos, homens e mulheres.
Não há política específica de atendimento ao dependente idoso na rede pública de saúde. A atenção à faixa etária acima dos 60 anos segue o padrão preconizado para o paciente adulto, adotado pelo Ministério da Saúde, que é de desospitalização. No Paraná esse atendimento é feito em ações terapêuticas, preventivas, educativas e reabilitadoras. A atenção básica é feita nos Centros de Atendimento Psicossocial, os Caps, distribuídos em todo o estado e em diferentes níveis de complexidade, de acordo com a abrangência territorial.
Curitiba tem 13 Caps: cinco unidades para atendimento de adultos e uma para crianças e adolescentes, especializados em dependência química. Os demais também fazem o atendimento de saúde mental, como transtornos psiquiátricos.
Autor: Gazeta do Povo - PR
OBID Fonte: Gazeta do Povo – PR

Copiado do Blog: Dependências Químicas e Aconselhamento Familiar do Terapêuta José Plinio do Amaral Almeida.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Quem VOCÊ PENSA QUE É para que Deus lhe ouça?

Quem é você no meio de bilhões de seres humanos? Por que alguém deveria lhe dar atenção ou notá-lo? E por que Deus lhe notaria? Milhares de orações são feitas a cada minuto. Por que a sua deveria ser respondida?

Atenção. Conseguir ser notado. Ser atendido. Todos nós queremos isso, mas isso não vem fácil.

A boa notícia é que temos um ótimo exemplo em nosso próprio corpo de como conseguir isso.

O corpo humano é composto de milhares de partes diferentes, grandes e pequenas — olhos, pés, unhas, dentes, pele, cabelo, veias, etc. Com tanta coisa acontecendo em seu corpo ao mesmo tempo, envolvendo todas as suas milhares de partes diferentes, como pode uma delas chamar a sua atenção? Se uma parte do seu corpo necessita da atenção da sua cabeça, o que ela pode fazer para ser notada e atendida?

A maneira mais rápida e mais certa é através da dor.

A dor é o sinal que seu corpo envia a sua cabeça para conseguir sua atenção. “Tem alguma coisa acontecendo aqui, é melhor você dar uma olhada.”

Não importa quão pequena e aparentemente insignificante seja a parte do corpo — se ela sente dor, a mensagem é enviada na hora, diretamente para a cabeça.

Quer uma prova? Arranque um fio de cabelo de sua cabeça ou do seu braço. Vai em frente, faça isso agora. Qual é a importância de um único fio de cabelo em seu corpo, comparado às outras milhares de partes? Não muita. Mas, mesmo assim, quando o arranca, a fisgada que você sente envia a mensagem para sua cabeça e exige atenção.

Da mesma forma, você pode ser apenas um entre bilhões de seres humanos. Mas quando você age a sua fé em quem Jesus é, você se torna parte do Seu corpo, onde Ele é a cabeça. Isso em si já é grande, mas é apenas o primeiro passo para conseguir atenção. Você ainda é apenas um entre muitos.

Agora que você é uma parte do Corpo pela fé, você tem uma conexão direta com a Cabeça. Se você precisa de ajuda, da atenção imediata da Cabeça, você sabe o que tem que fazer. Você tem que enviar o sinal. Esse sinal é a dor, o que nós chamamos de sacrifício — algo que lhe causa dor, mas que você faz por causa de sua fé em Deus.

Fé sem sacrifício, fé que não lhe incomode, fé que não faz sentir dor, é morta. Se uma parte do seu corpo está morta ou paralisada, não sente dor, ela é inútil. Você pode até machucá-la, mas ela não envia nenhum sinal para o cérebro, pois está morta. Assim é a fé sem sacrifício — não diz nada, não faz nada, não significa nada, e não consegue nada.

Jejum, oração, dízimos, ofertas, perdão, ajudar o próximo, obediência, negar a si mesmo, domínio próprio, atos inesperados e ousados de generosidade, mais uma série de outros deveres cristãos, nada mais são do que expressões diferentes de sacrifício.

Por mais desagradável que o sacrifício possa ser para o nosso ego e para nossa acomodada vontade humana, se queremos a atenção de Deus, e rápido, é através dele que enviamos o sinal. Daí, não importa quem somos, a dor do sacrifício ganhará atenção imediata de Deus.

É o que você faz que determina quem você é, e se você merece atenção.

Obs: A propósito, o mesmo princípio não se aplica apenas em conseguir a atenção de Deus, mas também de qualquer pessoa importante para você. Aí está a dica.

Bispo Renato Cardoso

Fonte: Blog Edir Macedo

domingo, 17 de abril de 2011

Dia do Julgamento e o inferno.

MITO OU REALIDADE ?

blog1

A existência do inferno e a certeza do julgamento não são alegações de pessoas falíveis.
A Bíblia é a fonte de tal alegação, e ela é absolutamente infalível e completamente irrefutável.
Quando alguém se torna cristão, tal pessoa está admitindo que estava errada, e que Deus é justificado em Suas declarações em relação a nós termos pecado contra Ele. Entretanto, vamos supor por um momento que não existam o Dia do Julgamento e nem o inferno. Isso significaria que a Bíblia é uma grande fraude, com a qual mais de quarenta autores colaboraram (durante um período de 1,500 anos) para produzir um documento que revela o caráter de Deus como “justo.” Estes homens O retrataram como um justo juiz, que alertou que um dia iria punir todos os assassinos, estupradores, mentirosos, ladrões, adúlteros, etc. Todos estes escritores (que professavam ser santos) deram um falso testemunho, transgredindo os mesmos Mandamentos que alegavam ser verdade. Isso significaria que Jesus Cristo era um mentiroso, e que todas as alegações que Ele fez sobre a realidade do julgamento eram, portanto, falsas. Também significaria que Ele entregou Sua vida em vão, como também fizeram milhares de mártires que deram suas vidas por causa de Cristo. Além disso, se não há justiça suprema, então o Criador de todas as coisas é injusto – Ele vê assassinatos e estupros e não dá a mínima, o que faz com que Ele seja pior que um corrupto juiz humano que recusa exercer a justiça e punir os criminosos. Contudo, eis a boa notícia se não houver inferno: você não saberá de nada após morrer. Será [simplesmente] o fim. Nada de céu, nem de inferno. Absolutamente nada. Você nem mesmo terá noção desta boa notícia.

Eis aqui a boa notícia se a Bíblia for verdadeira e [realmente] houver uma justiça eterna: Você se verá diante do trono de julgamento de um Deus santo. Pense nisto: Um Criador santo e perfeito que consegue enxergar seus pensamentos e todo pecado secreto que você já cometeu. Você tem uma multidão de pecados, e Deus deve, por natureza, executar a justiça. Peça-Lhe que o lembre dos pecados de sua juventude. Peça-Lhe que lhe traga a lembrança seus pecados sexuais ocultos, as mentiras, a fofoca e outras palavras frívolas. Você pode ter se esquecido de seus pecados passados, mas Deus não. O inferno será justamente o que você merecerá por isso, e não poderá por a culpa em ninguém mais além de si mesmo. Quem diz isto é a Bíblia. Acreditando ou não, é a verdade. Isso [certamente] acontecerá. Contudo, há boas novas – notícias incrivelmente boas. Merecemos o julgamento, mas Deus nos oferece a misericórdia através da cruz. Ele pagou nossa multa para que fossemos liberados da condenação. Ele destruiu o poder da cova para todos que O obedecem. Simplesmente obedeça ao Evangelho, e viva. Fazendo isso, você descobrirá por si mesmo que o Evangelho é a “verdade.” Jesus disse que se O obedecer, você conhecerá a verdade e a verdade O libertará (veja João 8:31, 32). Ajoelhe-se hoje mesmo, confesse e abandone (vire as costas) aos seus pecados. Diga a Deus que está verdadeiramente arrependido, em seguida confie no Salvador como confiaria em um pára-quedas.

As pessoas que estão aproveitando os prazeres temporários do pecado procurarão espantar os pensamentos da eterna justiça de Deus soltando piadas do tipo: “Não me importo de ir para o inferno. Todos os meus amigos estarão lá.” Obviamente, os que falam tais coisas tão impertinentemente não acreditam no conceito bíblico de inferno. São como um criminoso “lerdo” que acha que a cadeira elétrica é algo em que poderá sentar-se, colocar os pés para cima e relaxar. Seu entendimento da natureza de Deus é errônea, então devemos ser sábios e falar por alguns momentos sobre o quanto o inferno é algo racional. Explique que a Bíblia nos fala que Deus punirá os ladrões, mentirosos, adúlteros, fornicadores e blasfemadores. Punirá até mesmo aqueles que desejaram matar ou violentar alguém sexualmente mas nunca levaram seus planos a cabo. Deus nos alerta que se odiamos alguém, cometemos assassinato em nossos corações. Se cobiçamos alguém sexualmente, cometemos adultério no coração, etc. Todos são pecados que nos levarão ao inferno.

C. S. Lewis resumiu todos os terrores do inferno quando disse: “Não existe outra doutrina que eu retiraria da Bíblia com mais boa vontade do que a doutrina do inferno – se tivesse poder para isso. Mas, tal doutrina tem o apoio total das Escrituras e, especialmente, das próprias palavras de nosso Senhor; sempre foi amparada pela Igreja Cristã, e possui todo o apoio da razão.”

FONTE:http://evangelhohoje.blogspot.com

NÃO ESQUEÇA DO PRINCIPAL…

Caverna Rio dos Bugres - Urubici/SC - IMG_2336

Image by CasalMALY via Flickr

 

Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia:

- "Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal. Lembre-se, porém, de uma coisa: Depois que você sair, a porta se fechará para sempre. Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal...."

A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental. A voz misteriosa falou novamente:

- "Você só tem oito minutos."

Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou.

Lembrou-se, então, que a criança ficara lá e a porta estava fechada para sempre!

A riqueza durou pouco e o desespero, sempre.

O mesmo acontece, às vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver, neste mundo, e uma voz sempre nos adverte:

"Não se esqueça do principal!"

E o principal são os valores espirituais, a oração, a vigilância, a família, os amigos, a vida! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais nos fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado...

Assim, esgotamos o nosso tempo aqui, e deixamos de lado o essencial:

"Os tesouros da alma!"

Que jamais nós esqueçamos que a vida, neste mundo, passa rápido e que a morte chega de inesperado. E quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerá as lamentações.

Portanto, que jamais esqueçamos do principal!

Que Deus continue abençoando sua vida!

FONTE:

http://twitter.com/MComparti

http://www.ministeriocompartilhando.com.br/

http://www.oportunidades.compartilhandonaweb.com.br/

Enhanced by Zemanta

Batismo com o Espirito Santo

Baptism of Christ

Image via Wikipedia

SIGNIFICADO BÍBLICO

 

Sete passagens do Novo Testamento falam do batismo do/em/com/no Espírito Santo. As preposições variáveis refletem o fato de que o Espírito é tanto o agente e a esfera do batismo. Seis destas passagens se referem ao ensino de João Batista, contrastando o seu batismo na água com o batismo futuro de Jesus no Espírito Santo. O sétimo é 1 Coríntios 12:13, que remete para o início de todos os cristãos de Corinto na igreja.
Em Mateus 3:11 e Lucas 3:16, João prediz que o Messias virá após ele, e os batizará com o Espírito e fogo. Esta expressão é mais interpretada como uma referência à uma ação purificadora do Espírito Santo que abençoa fiéis e condena os incrédulos, e que abrange toda a obra do Espírito do Pentecostes, culminando no julgamento final. Marcos 1:8 e João 1:33 refletem essa expressão idêntica de João, mas referem-se apenas ao batismo do Espírito. É improvável que alguém na platéia original de João soubesse exatamente o que ele quis dizer com essas previsões.
Em Atos 1:5, no entanto, ao passo que Jesus se prepara para subir ao céu, Ele remete às palavras de João e prevê sua realização dentro de “alguns dias”. Em apenas um pouco mais de uma semana, os discípulos celebraram o Pentecostes e receberam o derramamento do Espírito Santo em cumprimento da profecia de Joel 2:28-32 (Atos 2:1-41,. vv. 17-21). Alguns anos mais tarde, quando Pedro ministrava a Cornélio, o Espírito de novo se manifesta de maneira dramaticamente semelhante (levando ao que comumente chamamos de “Pentecostes dos gentios”). Estas semelhanças levam Pedro a refletir sobre as palavras de despedida de Jesus novamente e citá-las para os líderes cristãos judeus em Jerusalém, em defesa de sua “escandalosa” associação com os gentios (Atos 11:16).
É claro que todas as seis destas referências ao batismo do Espírito Santo são experiências semelhantes ao Pentecostes principalmente em vista. Em 1 Coríntios 12:13, no entanto, não é indicado que todos os coríntios tinham experimentado alguma manifestação, dramática e visível do Espírito Santo, quando eles foram batizados. O fenômeno comum não parece ser a de iniciação. Assim como o batismo na água era o rito de iniciação, simbolizando o arrependimento e a fé em Cristo, a entrada na comunidade dos crentes, e incorporação no corpo de Cristo, o “batismo no Espírito” se refere a esse momento em que o Espírito começou a operar nas vidas dos crentes. O estilo particular da chegada do Espírito é paradigmático, que pode vir tranquilamente e de forma quase imperceptível ou dramaticamente tangível.
A experiência dos discípulos no Pentecostes é ainda mais complicada pelo fato de que eles viveram no período de transição do tempo da antiga Aliança com o tempo da nova Aliança, que os eventos complexos que começam com a crucificação e ressurreição, e culminando com a exaltação de Cristo e o envio do Espírito inaugurou no dia de Pentecostes. É importante notar que Pentecostes não foi a primeira experiência dos discípulos com o Espírito Santo (João 14:17; 20:22), mas isso não justifica necessariamente a generalização de que o “batismo do Espírito” jamais voltará a ser uma “segunda benção”, uma experiência mais profunda do Espírito após a conversão. Pentecostes era uma segunda bênção para os discípulos, porque eles eram seguidores de Jesus, tanto antes como depois da Sua morte. Mas não há nenhuma indicação de que Cornélio e seus amigos fossem submetidos a uma segunda experiência do Espírito. O batismo do Espírito foi simultâneo com a sua conversão a Cristo. Assim, também nada é dito sobre os Coríntios terem uma experiência de dois estágios. Se a igreja inteira tinha sido batizada no Espírito Santo, incluindo o grande número dos cristãos “carnais” que Paulo censura (1 Coríntios 3:1-4); então claramente o batismo do Espírito não pode garantir um certo nível de maturidade cristã e de santidade. E se o mesmo dom espiritual não foi realizada por todos os crentes de Corinto (1 Co 12:29-30), então nem o batismo do Espírito pode-se uniformemente se referir a recepção de qualquer dom particular do Espírito Santo.
Nada disto significa negar que os cristãos muitas vezes recebem um renovado sentimento da presença ou do poder do Espírito uma ou mais vezes após a conversão. Lucas emprega a expressão, “cheio do Espírito Santo,” para se referir a essas ocasiões, principalmente quando a ousada proclamação do evangelho segue rapidamente (por exemplo, Atos 2:4, 4:8, 31; 13:9). Quando um desses eventos aparece particularmente constitutivo de uma nova fase da experiência cristã, pode ser necessário, como sugere Green, falar de uma libertação “no Espírito”. Mas se quisermos ser fiéis ao uso bíblico, pode-se reservar o termo “batismo no Espírito” para a habitação de Deus através do Seu Espírito Santo, no momento da salvação de um crente. Como Green, ele próprio um carismático, lucidamente conclui (p. 134), todas as sete referências bíblicas “não apontam para uma segunda experiência, mas um irrepetível, complexa conversão em Cristo, com arrependimento e fé, justificação e perdão, filiação e testemunho público, o dom do Espírito Santo e o selo da presença, todos fazendo parte da iniciação em Cristo, “mesmo que algumas partes do todo [possa ser] visto mais cedo do que outros.”
Às vezes, é alegado que certas passagens que se referem ao batismo, sem qualquer outra qualificação, também ensinam sobre o batismo do Espírito (por exemplo, Romanos 6:4, Gálatas 3:27, Colossenses 2:12, 1 Pedro 3:21). Esta interpretação é geralmente destinada a proteger esses textos contra uma visão de levá-los a ensinar a regeneração batismal. Mas, de fato, a Igreja primitiva correntemente utilizava “batismo” sem qualquer qualificação para se referir ao batismo em água. Nenhuma destas passagens, mesmo quando tomada para se referir à imersão em água, implica a regeneração batismal, mas elas demonstram como intimamente relacionados está o batismo em água na conversão (e, portanto, o batismo do Espírito também) nos tempos do Novo Testamento.
Craig L. Blomberg
Bibliografia.
G. R. Beasley-Murray, Baptism in the New Testament; J. D. G. Dunn, Baptism in the Holy Spirit; EDT, pp. 121-22; H. M. Ervin, Conversion-Initiation and the Baptism in the Holy Spirit; M. Green, Baptism.
Fonte: Baker's Evangelical Dictionary of Biblical Theology. Editado por Walter A. Elwell.

Extraído do Blog: http://bibliotecabiblica.blogspot.com

Enhanced by Zemanta

sábado, 16 de abril de 2011

Os dez mandamentos do “twitteiro” cristão.

Tweeting bird, derived from the initial 't' of...

Image via Wikipedia

 

As redes sociais são, cada vez mais, uma realidade mundial. Os profissionais, homens públicos, pessoas comuns, empresas, entidades privadas ou públicas, enfim, o mundo não pode mais ignorar o poder do Twitter, Facebook, Orkut, etc.

Os pastores, conferencistas, líderes cristãos e as igrejas já descobriram que ignorar ou desfazer desse fantástico meio de comunicação, além de uma atitude antiquada, é também omissão. Que, segundo a Bíblia, é pecado.

Como ignorar um público tão diversificado e complexo que, usando da espontaneidade que as redes sociais afloram, nos permitem ver pessoas com os mais diferentes – alguns terríveis - pensamentos e sentimentos?

Tenho acompanhado alguns líderes cristãos que, com o seu exemplo de vida – o aspecto que prevalece sobre os demais – tem-se utilizado principalmente do Twitter para divulgar o Evangelho de Cristo. São exemplos para nós os amados Augustus Lopes (@augustuslopes), Ciro Zibordi (@CiroZibordi) e Geremias do Couto (@pastorgeremias) entre tantos.

Vejo também cristãos – alguns conhecidos, até próximos – que, utilizando-se desses meios, em vez de serem “twinfluenciadores”, “twitteiros que influenciam outrem”, são “twinfluenciados”.

Por que mudar o meu linguajar, para fazer parte de essa ou aquela “tribo”? Por que ser um personagem – e não eu mesmo – ao “twittar”? Ou será que o “personagem” já tomou o seu lugar? Free twitter badge

A quem age assim e a todos nós, os “dez mandamentos do twitteiro cristão:”

1- Não twitarás a outros deuses diante de Deus.

Há cristãos que, em momento algum, usam o twitter para exaltar o nome do Senhor. Todos os “deuses” (cantores, jogadores, políticos) são exaltados, exceto o Senhor.

2 – Não colocarás imagens dos seus ídolos – sejam de escultura ou pop – em seu profile.

Está descontente com a face que o Senhor te deu ou se acha tão inferior que não consegue mostrar o rosto? Idolatra tanto aquele cantor que não consegue se desvencilhar dele? “Só ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a Ele servirás.”

3 – Não twitarás o nome do Senhor, teu Deus, e depois uma hashtag (#) com um palavrão ou comentário obsceno.

Primeiro, um versículo; depois, um comentário cristão, na maioria das vezes copiado, sem citar a fonte. Por fim, retwita uma hashtag com um tremendo palavrão.

4 – Lembra-te que todos os dias são santos, inclusive a hora de twittar.

Não é apenas na igreja, que devemos a nossa devoção a Deus. Às vezes, em momentos despretensiosos, de lazer, o Senhor quer utilizar-se de nós.

5 – Honra a teu pai e a tua mãe. Inclusive no Twitter.

Frases do tipo: “Por um triz, não mando a minha mãe...”, “Vc também tem uma mãe chata como a minha?” e, pasmem, “Só não mato ela, porque é minha mãe” são comuns no Twitter. A última eu li e guardei. Será que são cristãos, que não perdem uma missa ou um culto?

6 – Não matarás ou desejarás matar usando o Twitter.

Nunca deseje matar, em hipótese alguma. Muito menos, expor sentimentos violentos, preconceituosos, bárbaros, que estimulem afrontas, brigas, através de um meio que você pode informar, divertir e divulgar o Evangelho de Cristo.

7 – Não adulterarás.

Não use o Twitter com fins sexuais. Não crie uma conta, pensando em exposição que renda frutos sexuais ou afins. Quem te segue, te vê. “E se for DM (Mensagens diretas)?” Deus vê.

8 – Não furtarás dinheiro, bens, ou senhas da internet.

Não é apenas dinheiro ou bens que não devemos roubar. Senhas de internet, entrar em profiles alheios, também não é lícito.

9 – Não difamarás o teu próximo, usando DM ou perfis falsos.

De maneira alguma, difamarás. Criar um perfil falso, para caluniar quem quer que seja, está muito distante da vontade de Deus.

10 – Não cobiçarás coisa alguma do teu próximo, como a mulher, os bens e o número de seguidores.

Esqueça o sucesso de outrem, a beleza da mulher do outro e o número de seguidores. “Como conseguiu tantos seguidores e tão rápido?”. Preocupe-se em divulgar as boas novas.

Lembre-se desses e nunca esqueça o primeiro de todos os mandamentos: “Amarás, pois, ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças. Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Em tudo o que fizer, “não há outro mandamento maior do que estes.”

www.twitter.com/emmanuelqueiroz

Fonte: http://emmanuelqueiroz.blogspot.com/

Enhanced by Zemanta

sábado, 9 de abril de 2011

O que leva uma pessoa a matar…

 

As tragédias, por mais difícil que seja admitir, tem sempre um componente pedagógico: fazem-nos refletir. Para os que discordam, há, inclusive, uma base bíblica para essa afirmação: “Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração.” (Eclesiastes 7.2)images[7]

A tragédia da Escola Municipal Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro, não surge como uma exceção. Pelo que li e vi, até agora, confirma a regra.

 

 

 

A pergunta mais ouvida foi: “O que leva uma pessoa a planejar evento tão macabro? A matar crianças, adolescentes, plenamente indefesos, alguns ajoelhados suplicando para não morrer? A fazer tudo isso sorrindo?”

Simples e direto: a ausência de Deus na vida do ser humano!

“Como assim? Ausência de Deus? E a carta que o atirador deixou não dava sinais claros de ser uma pessoa tão religiosa, fanática até?” Aí está o âmago da questão.

Ser fanático religioso e seguir a Deus são a mesma coisa? Ver a “impureza e o pecado” em outrem e esquecer-se de si é Cristianismo? “Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mateus 7.5)

O fanatismo religioso tem causado terríveis males e nenhum benefício. Não há homem-bomba, inquisidor ou suicida santo. Esta é uma verdade que atinge todas as épocas e todas as religiões.

Sabe por quê? Porque “religião não salva”, como diz o ditado. Religião não transforma, não muda vidas. Isso, só Jesus Cristo faz.

Ele, no Sermão do Monte, ou As Bem-Aventuranças, nos diz algo muito forte: “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.”

Afirmação que nos faz pensar que ser religioso, carola, fanático, viver em uma igreja, não perder um culto ou missa, não nos faz homens justos ou santos. Reconhecer os nossos pecados, arrepender-se e ser guiado pelo Espírito Santo, sim.

Por Emamnuel Queiroz : www.emmanuelqueiroz.blogspot.com/

sábado, 2 de abril de 2011

Não desistas nunca, Deus é contigo.

 

imageDevemos em primeiro lugar, Amar ao Criador de Todas as Coisas, e teme-lo... afastando-nos  do mal.
                   Quando agimos assim, adquirimos segurança, fortalezas e muros intransponíveis. 
                     Deus é o nosso amparo, força e coragem para tentar, para ir em frente.
                     Precisamos olhar para o futuro com olhos de esperança.
É necessário compreendermos que os medos, quando deixamos,  tomam conta de nós tentando nos fazer desistir de tudo aquilo que é importante para nós.
Quando não tínhamos conhecimento de Deus, quando não temíamos ao Senhor e não fazíamos parte da Sua obra, não tínhamos defesa, por isso, muitas vezes, erramos e fracassamos. Mas esses erros e fracassos sempre nos ensinam como planejar melhor a nossa vida. Então, amados, não desistas, não desistas nem de ti
                 e de nenhum dos teus sonhos.

O Melhor desta Terra é pra você!!!

Deus quer lhe dar o melhor desta Terra para você e Ele só pede uma coisa em troca que você seja FIEL.

Assista este video que é maravilhoso e preste atenção na letra.

 

index

TSUNAMI NO JAPÃO

sexta-feira, 1 de abril de 2011

LOJA "DONS DE DEUS"

Entrei na loja e vi um anjo no balcão.
Maravilhado disse:
-Santo Anjo do Senhor, o que vendes?
Respondeu-me:
-Todos os Dons de DEUS.
-Custa muito?
-Não.Tudo é de graça.
Contemplei a loja e vi: jarros e vidros de fé,
pacotes de esperança, caixinhas de salvação e sabedoria...
Tomei coragem e pedi:
-Por favor, quero muito Amor de Deus, todo Perdão Dele,
um vidro de Fé, bastante Felicidade e
Salvação Eterna para mim e para a minha familia.
Então, o anjo do Senhor preparou-me um pequeno embrulho que
cabia na minha mão.
Maravilhado disse-lhe:
PRESENTE DE DEUS-É possivel, tudo aqui?
O anjo respondeu-me sorrindo:
-Meu querido irmão, na loja de Deus não vendemos frutos.
Apenas sementes.
PENSEM NISSO!!!!!!!!!!!!!!!

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin