domingo, 27 de outubro de 2013

SALVAÇÃO - Você está preparado?

A vinda do Senhor Jesus será imprevista como o ladrão da noite.

Ora, quem sabe quando o ladrão virá? Assim também será a vinda do Senhor. Será repentina, inesperada; pegará o mundo de surpresa assim como o maremoto que dizimou quase 300 mil pessoas na Ásia no final de 2004. Quem imaginava tamanha calamidade? Podia-se pearrebatamentonsar em tudo, menos naquela catástrofe…

O Dia do Senhor será assim: primeiro, glorioso para os que morreram em Cristo, incluíndo as crianças inocentes. Todos esses ressuscitarão para o encontro com o Senhor nas Nuvens. Depois, os seguidores do Senhor Jesus, juntamente com as crianças inocentes, serão arrebatados para o encontro com o Senhor nos ares (1 Tessalonicenses 4.13-17).

As consequências do arrebatamento para o mundo serão inimagináveis. Imagine o desaparecimento simultâneo de todas as crianças inocentes! Como  reagirão seus pais e entes queridos? E quanto aos que têm fé? Imagine transportes coletivos sem seus condutores! Aviões sem seus pilotos, trens sem maquinístas, embarcações, automóveis, ônibus, caminhões, carretas; enfim, muitos meios de transportes se movendo totalmente desgovernados! Isso sem falar dos controladores de aviões e trens cristãos, que desaparecerão sem aviso prévio.

Além disso, e o pior de tudo, é que o Espírito Santo também não estará mais no mundo. Assim sendo, quem convencerá os pecadores? Quem vai consolar os que ficarem sem seus entes queridos?

O fato é que a vinda do Senhor Jesus Cristo será gloriosa para os Seus servos, mas uma catástrofe incalculável para os que ficarem.

O profeta Isaías diz:

Eis que vem o Dia do Senhor, dia cruel, com ira e ardente furor, para converter a terra em assolação e dela destruir os pecadores” (Isaías 13.9)

Para se ter uma ideía mais realista, basta meditar sobre os seguintes versículos: Isaías 2.12; 13.6, Ezequiel 30.3, Joel 1.15; 2.1, 11; 2.31, 3.14, Amós 5.18, 20, Obadias 1.15, Sofonias 1.14, Zacarias 14.1, Malaquias 4.5 e 2 Pedro 3.10.

O Senhor Jesus fala desse dia através da parábola das dez virgens (Mateus 25.1-13).

Comprove: quase todos os profetas situam a vinda do Senhor como um dia de julgamento. Não julgamento diante do Trono Branco, mas o julgamento diante de todas as nações, quando o Senhor Jesus Cristo mesmo vai separar os que são da Luz dos que são das trevas. E aí haverá gritos de dor, gemidos e terror entre os que ficarem…

E você, tem estado preparado para esse Dia?

domingo, 6 de outubro de 2013

Bíblia Católica e Bíblia Evangélica: Qual a diferença?

Creio que muitas pessoas têm dúvidas relativas a possíveis diferenças entre a Bíblia Católica e a Bíblia Evangélica. Seriam essas diferenças que levam evangélicos a discordar dos católicos e vice-versa?

Como ex-católico, conheço as duas versões da Bíblia e creio que as duas diferenças existentes entre elas são: Número de livros e tradução.

bíblia

Numero de livros.

A Bíblia evangélica tem 66 livros, enquanto que a Bíblia católica tem sete livros a mais. Estes livros são: Tobias, Judite, I Macabeus, II Macabeus, Baruque, Sabedoria e Eclesiástico.

Estes livros foram considerados pelos judeus da palestina como não sendo inspirados pelo Espírito Santo e por isto os evangélicos os rejeitam como parte da Bíblia. Colabora ainda o fato destes livros não terem sido citados por nenhum autor do Novo Testamento.

Tradução

Primeiro, é preciso entender que a Bíblia foi originalmente escrita em hebraico e aramaico (antigo testamento) e grego (novo testamento). Posteriormente o AT foi traduzido para o grego. As Bíblias escritas em outros idiomas como inglês, espanhol, francês, alemão, português, etc, são versões do grego original. Desta forma, cada tradutor usou expressões diferentes em seu próprio idioma para representar aquilo que estava escrito em grego.

As diferentes versões da Bíblia, normalmente não alteram o sentido original, por isto, tanto a tradução católica como a evangélica tem o mesmo princípio. Evidentemente que alguns termos podem ter sido adaptados a uma comunidade em detrimento de outra.

Tradução da Bíblia para o português

A Bíblia evangélica usada no Brasil foi traduzida para o português por João Ferreira de Almeida, um português católico que se converteu ao protestantismo em 1642 e logo em seguida iniciou o trabalho de tradução. A versão de Almeida foi a primeira em língua portuguesa.

A Bíblia católica possui diversas traduções. Não sei precisar se há alguma versão preferida. Soube recentemente que a versão “Nova Tradução em Linguagem de Hoje” (versão evangélica) da Sociedade Bíblica do Brasil foi adotada por uma importante editora católica.

Conclusão

As diferenças entre a Bíblia católica e a Bíblia evangélica não torna uma verdadeira e outra falsa. Ela é única em sua essência e tem o mesmo propósito que é apresentar a salvação em Jesus Cristo.

Católicos e evangélicos submetem à mesma palavra. O critério de salvação para um evangélico é o mesmo para um católico. Se os evangélicos insistem que é necessário entregar a vida a Jesus e obedecer à palavra de Deus, a Bíblia católica não desmente isto, pelo contrário, ela confirma isto.

Portanto, a diferença entre evangélicos e católicos não é pelo que está na Bíblia e sim pelo que não está. Enquanto que os evangélicos têm sua fé fundamentada exclusivamente nas sagradas escrituras, os católicos baseiam-se também na tradição e nos dogmas da igreja, como: a  assunção de Maria, a infalibilidade do papa, o purgatório, o culto aos mortos, culto aos santos, entre outros. Estes ensinamentos não são bíblicos e, portanto são alguns dos pilares que distanciam evangélicos de católicos.

Fiquemos com a Bíblia, pois ela é a palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo e fonte de toda a informação que o homem precisa para conhecer a Deus.

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin