terça-feira, 21 de junho de 2016

Ouça a voz da fé



A dúvida é inimiga. É ela quem instala a derrota em nossas vidas



“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia.” 2 Coríntios 4.16
Há momentos em nossa vida em que os problemas se revelam grandiosas muralhas. Nos sentimos pequenos, incapazes, diante deles.
Muitas pessoas deixam de encontrar a solução para a superação por causa da falta de coragem. Há até mesmo os que desenvolvem um complexo de inferioridade por prestarem atenção nas palavras e nos pensamentos de dúvida.
São pessoas capazes, mas que se prejudicam por causa da incerteza, deixando que ela tome conta da situação, causando medo.
Entretanto, a resposta para superar essa insegurança está na fé que vem de Deus, como observou o bispo Edir Macedo em sua Palavra Amiga: “Quando a gente vive pela fé, isto é, não pela religião, mas aprendendo a exercitar a fé viva no Deus vivo, nós nos tornamos fortes, resistentes, inabaláveis. E as dúvidas, quando vêm, são automaticamente eliminadas. Então, você é resultado da fé ou da dúvida que atua dentro de você.”
Por isso temos que tomar cuidado com os pensamentos de dúvida, porque por meio deles é que o diabo tira a nossa força de lutar.

domingo, 19 de junho de 2016

Crescimento na vida espiritual

crescimento-esperitual-1

“Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.” 2 Pedro 3:18
Introdução: Nenhuma verdade na Bíblia é mais importante do que a que os crentes devem amadurecer e crescer espiritualmente. Ao fazê-lo a sua vida vai ser mudada. Você vai começar a viver uma vida mais abundante, mais satisfatória. Deus está interessado na transformação da sua vida e muitos que vieram a Cristo, ainda não entenderam essa parte vital da vontade de Deus para nossas vidas.
Esta noite vamos olhar seriamente este assunto sobre crescer em Jesus Cristo e o que significa e pode significar para cada um de nós.

Equívocos sobre o crescimento espiritual.

 O crescimento espiritual é automático.
1) A pessoa é salva pela misericórdia de Deus quando confia e recebe a Cristo. É instantâneo e uma ocorrência súbita. Isso acontece apenas uma vez e é imutável.
• Pode levar algum tempo para que uma pessoa compreenda o Evangelho e aceite-o, mas no momento em que ela o aceita o fato ou a posição em Cristo está estabelecida para sempre.
• “Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Coríntios 5:17)
• “E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e poder”. (Colossenses 2:10)
• “Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude” (2 Pedro 1:3)
2)  Quando você crê você é posicionado em Cristo. Você recebe toda a bênção espiritual e todas as coisas que dizem respeito à piedade. Você está completo em que você é um filho de Deus. Está totalmente equipado para realizar tudo o que Deus tem para você em sua vida. Não há segunda bênção, como muitos ensinam. Há apenas um Evangelho e é o Evangelho completo e não há nenhum outro.
3)  O que isto significa é que você como um crente recebe o Espírito de Deus, que lhe permitirá viver uma viver piedosa e o crescimento espiritual.
• Ilustração: Quando um bebê nasce, não pode falar, andar ou trabalhar. No entanto, se é normal tem tudo, incluindo a mente e tudo o necessário para crescer em um adulto maduro. No entanto, deve ser ensinado. Deve aprender. Um grupo de turistas estavam visitando uma cidade em uma excursão e se depararam com um homem velho. Um dos turistas perguntou ao velho se algum grande homem havia nascido naquela pequena cidade. “Não, ele respondeu, Só bebês”.
• Começamos aprendizagem da vida e isso significa que a própria essência da vida está crescendo e amadurecendo. A primeira vez que uma mamadeira de leite é colocada em sua boca ele aprende que é bom e começa a mamar.
 O crescimento espiritual mede o amor de Deus por nós.
1) O amor de Deus não é dependente de nossa espiritualidade.
2) Ele nos amou quando ainda éramos pecadores.
3) No entanto, para ter as bênçãos de Deus, devemos estar em Sua vontade, cheios do Espírito Santo e viver vidas obedientes aos princípios estabelecidos por Deus.
4) O amor de Deus significa que Ele sempre vai fazer o melhor para nós e isso significa que ele não vai abençoar aqueles que são infiéis aos princípios bíblicos da vida.
O crescimento Espiritual é dependente de longos períodos de tempo.
1) Há muitos crentes que foram salvos há muito tempo e, todavia, cresceram muito pouco.
2) Alguns foram salvos há pouco tempo, todavia cresceram espiritualmente muito rápido.
3) Certamente, se duas pessoas são dedicadas e fiéis igualmente ao Senhor, aquela que foi amadurecendo mais será mais madura espiritualmente.
4) Eu já pessoas que foram salvas e dentro de um ano, eles eram capazes de ensinar na Escola Dominical ou realmente efetivamente usar o dom que Deus lhes deu e ter uma boa compreensão da Bíblia. Eu já vi outros que depois de anos entendiam muito pouco.
Ser espiritualmente maduro não é uma questão de quanto se sabe.
1) O que importa é o que você faz com o que você sabe! “Ora, no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha…” (1 Coríntios 8:1)
2) Nota: O verso adverte que o conhecimento pode inchar. Ele está falando sobre o ORGULHO.
3) Ter um conhecimento dos fatos da Bíblia é importante para o crente, mas não pode ser equiparado a maturidade espiritual.
4) O crescimento espiritual é o que fazemos com o que sabemos sobre a Bíblia, a Palavra de Deus.
5) “Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos” (Romanos 8:29)
O crescimento espiritual é uma questão de ser ativo na igreja.
Certamente, os crentes espiritualmente maduros serão ativos em sua igreja local e estarão servindo ao Senhor, onde quer que estejam. Todavia….
1) Uma pessoa pode ser muito ocupada fazendo coisas na igreja e não estar crescendo espiritualmente.
2) Alguns pensam que se eu estou ocupado o suficiente, então eu sou espiritual. Isso não é necessariamente verdade.
• “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”. (Mateus 7:22-23)
• Estar ocupado e fazer um monte de coisas na igreja sequer é qualificação para a salvação.
O crescimento espiritual não tem nada a ver com a prosperidade.
1) Muitas pessoas podem pensar que as posses materiais é uma indicação de maturidade espiritual ou favor especial com Deus. Isso mais uma vez não é verdade.
2) Não pense que porque você está bem ou financeiramente seguro que isso significa que Deus aprova como você está vivendo sua vida e crescendo espiritualmente.
3) O outro lado também é verdadeiro. Ser pobre ou ter muito pouco não significa que Deus desaprova sua espiritualidade.

O que é então maturidade espiritual?

 Se não é uma questão de nossa posição em Cristo, ou o amor de Deus, o tempo, o seu conhecimento da Bíblia, seu nível de atividade, ou o quão rico ou pobre você pode ser …. o que é então?.
 Também não é uma coisa mística, sentimental, devocional ou psicológica.
 O crescimento espiritual em termos simples é: “Corresponder minha prática com a minha posição”.
1) Se eu sou salvo, e um filho de Deus, então eu estou completo. Tenho tudo o que preciso para viver para o Senhor e para viver uma vida abundante completa de satisfação. Eu posso viver uma vida que glorifique o meu Salvador, o Senhor Jesus Cristo.
2) A maturidade espiritual não é ser capaz de colocar em prática principal da Palavra de Deus …. (Você é capaz!) É uma questão de querer fazer o que Deus quer. É uma questão de compromisso. É uma questão de dedicação. É uma questão de fé! Uma questão de confiar em Deus Todo-Poderoso permitindo que ele dirija as nossas vidas. É fazer o que Ele diz obedientemente.

Por que devo crescer espiritualmente? O que é tão importante sobre isso?

 É uma questão de estar em harmonia com o plano e criação de Deus.
1) Queridos, Deus nos criou e criou este mundo! Como todo o construtor, ele tinha um propósito para o que ele construiu!
2) Suponha que eu construísse uma Ferrari como eu vi no noticiário outro dia que custa mais de 1 milhão de Reais. Suponha que eu a usasse para ir a minha fazenda em estrada de terra cheia de buracos? Louco, não? Suponha que eu pegasse um trator para levar a minha família para a cidade e o usasse como o carro da família? Esquisito, não é?
3) Em ambos os casos, a Ferrari ou trator foi mal utilizados e não usado como eles foram projetados para ser usado. Você poderia levar a família para a cidade em um trato, mas não seria muito melhor em um automóvel que tem quatro portas, ar condicionado / aquecedor, assentos confortáveis, com muito espaço, e um motor e transmissão feita para fazer o trabalho? Não seria abuso, ter um carro projetado para competir e usá-lo como um caminhão da fazenda?
 Deus criou você para a glória dele.
1) ” antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como até o dia da eternidade”. Amém. (2 Pedro 3:18)
2) Isso é o que você foi criado para fazer … trazer glória a Deus. O problema com o mundo e muitos crentes é que eles não sabem o que são e por que eles foram criados.
3) O mundo perdido certamente não sabe. Está em rebelião contra Deus. Ele não traz glória a Deus. Ele está arruinando-se, abusando-se porque está fazendo o que não foi projetado para fazer.
4) Muitos crentes, também caíram na mesma armadilha. Eles confiam em Cristo e vivem vidas que são destrutivas, insatisfeitos e miseráveis. Por quê? Eles são como um carro de corrida caro e turbinado, correndo por uma estrada poeirenta e rochosa, carregando cargas pesadas que não foram projetados para carregar.
Para glorificar a Deus, devemos viver como Deus nos criou para viver.
1) Traz grande honra para seu criador quando um de seus tratores, está nos campos, arrastando, arando, quebrando ou lavrando a terra como ele foi projetado para fazer.
2) Que satisfação ver uma peça de equipamento funcionando sem problemas fazendo o que foi feito para fazer.
3) Para o crente que vive separado do Senhor, vivendo em desobediência a Deus, sendo infiel … isso traz vergonha a Deus que nos criou e também nos destrói. A Bíblia diz que o salário do pecado é a morte.
 Ao contrário de um trator, carro ou peça de uma máquina … Deus lhe deu uma vontade.
1) Você não é um robô… mas feito à imagem do próprio Deus, tem uma mente, emoção e vontade.
2) A Ferrari usada em uma fazenda não tem escolha, mas opera como é forçada a fazê-lo. No entanto, Deus não vai forçá-lo a fazer o certo! Você pode fazer o errado. Depende de você.
Quer fazer o certo, então, basta fazê-lo.
 Se você é um filho de Deus você tem a capacidade … que é dom de Deus, quando você foi salvo. Se você ainda não confiou em Jesus Cristo como seu Salvador … então por que não? O que é que te impede de crer Nele e colocar sua confiança em Deus que o criou? Você não acha que o tempo é agora para começar uma nova vida. Uma vida que Deus fez para você viver.
1) Os crentes são completos em Cristo e eles têm tudo o que é necessário para viver como você deve …, mas você deve querer fazê-lo.
2) Nosso amor pelo pecado é um problema. Nós temos uma natureza pecaminosa que tem uma inclinação para o pecado e fazer o errado. No entanto, isso não é uma desculpa. Se eu quiser evitar o pecado e não fazer o que é errado eu posso. Eu posso porque eu tenho uma nova natureza, a própria natureza de Deus, que me dá o poder de fazer o que é certo.
Conclusão: Você observou que crescer em Cristo, e crescer espiritualmente é uma questão de exercer sua vontade …. fazer o que Deus manda.
Crescimento espiritual é uma questão de corresponder minha prática com a minha posição.
Se eu sou um filho de Deus, eu posso viver uma vida abundante maravilhosa servindo a Deus.
Isso é eu posso, se eu quiser. Eu posso se eu estiver comprometido e simplesmente fazendo um esforço para fazê-lo.

COMO SERÁ A VOLTA DO SENHOR?





A volta do Senhor Jesus é inevitável, sendo o acontecimento mais esperado por todas as gerações. De uma forma ou de outra, todos participarão desse acontecimento. Por este motivo, muitas pessoas possuem a curiosidade de saber como será esse acontecimento tão aguardado por toda a humanidade.


Primeiramente é bom ressaltar que vamos falar sobre a segunda vinda do senhor Jesus, pois Jesus já esteve entre nós a um pouco mais de dois mil anos atrás. Vale também deixar claro que ninguém sabe o dia nem a hora de quando acontecerá a sua segunda vinda, nem os anjos dos céus, muito menos o próprio Jesus, mas somente o Pai (Mateus 24:36).

A segunda vinda de Jesus será diferente da primeira, pois quando Jesus veio pela primeira vez, ele esteve aqui na Terra em forma física para pregar as boas vindas do Evangelho da Salvação, mas agora, em sua volta, será como um relâmpago, em um abrir e fechar de olhos, para levar consigo os Seus, aqueles que não amaram o mundo nem o que existe no mundo.

A volta de Jesus terá um impacto em todo o mundo, trazendo um determinado pânico na humanidade, que ficará perplexa e perdida em interrogações por um determinado período, logo após verem as crianças inocentes sumirem de forma repentina sem nenhum paradeiro. Ou seja, um caos acontecerá na sociedade mundial após verem pessoas que professavam sua fé em Jesus Cristo diante dos homens desaparecerem sem deixar rastro.

Histórias de discos voadores, abdução por extraterrestres, juntamente outras histórias serão inventadas pelos veículos de comunicação para justificarem os desaparecimentos. Porém, todos os que ficarem, serão conhecedores da verdade contidas nas Escrituras Sagradas, tendo ouvido nem que seja em um único dia de suas vidas a verdade.

Todos os que ficarem, estarão cientes dos porquês tendo a última oportunidade de se arrependerem, podendo ter que pagar com a própria vida para subirem, enfrentado o período da Grande Tribulação governada pelo anticristo.

Dica:
Cuide-se, levando a Palavra de Deus a sério para estar pronto para o Grande Dia do Senhor. Deus abençoe!

Fonte: http://www.exercitouniversal.com.br

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Paixão e fé


Deus não quer ser servido com sentimentalismo, mas com uma fé consciente

A fé consciente ignora as emoções da alma porque se fundamenta nos ensinos e nas promessas de Deus. Ela contrapõe-se aos princípios das religiões, pois essas têm os seus alicerces fundamentados na fé nos sentimentos tradicionalistas. A alma do religioso exige sentir algo que está aquém da certeza absoluta.
Essa certeza absoluta é a fé de que Deus fará exatamente aquilo que prometeu que faria. Os religiosos têm apoiado a sua crença nos sentimentos da alma. E a verdadeira fé diz respeito apenas aos valores do raciocínio ou do espírito. Deus é Espírito. A Sua comunicação com o ser humano está restrita ao espírito humano, não à sua alma. Deus fala na consciência, no intelecto, na mente, por meio da Sua Palavra. Porque a resposta tem que vir da expressão do intelecto.
Se Deus falasse ao coração, a resposta humana seria baseada na paixão, nos sentimentos da alma, e não na razão. Ele não quer ser seguido ou servido por sentimentalismos fantasiosos do coração. Uma coisa é servir a Deus movido pela paixão, pela emoção, e outra é servi-Lo conscientemente. A resposta que Deus espera do ser humano deve ser tomada na sua consciência e não no seu coração. Isto é, no espírito e não na alma.
Quantas pessoas casam-se apenas porque são levadas pelo sentimento do coração, sem fazerem sequer uma reflexão sobre as questões que envolvem um casamento? E dessas, quantas se mantêm fiéis até a morte? Isso acontece porque os sentimentos do coração, ou da alma, não têm consistência.
Ao mesmo tempo que essas pessoas são capazes de fazer juras de amor, também são capazes de se xingar e até de se odiar. O coração humano tem sido fonte de paixão e ódio. O mesmo casal que um dia esteve agarradinho e feliz diante do juiz para se casar recorre à Lei para descasar; porque os carinhos se transformaram em tapas e os beijos em agressões verbais. Diante disso, eu pergunto: como Deus poderia confiar nos sentimentos do coração humano?
Por isso, o relacionamento com Ele só pode acontecer no campo racional. Como ponte para o relacionamento da criatura com o Criador, a fé sobrenatural envolve muito mais que os sentimentos fugazes do coração, pois ela é consciente. Do espírito humano para o Espírito de Deus; da mente humana para a mente do Senhor Jesus Cristo.
Mas somente os nascidos do Espírito têm a mente de Deus: "Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo." 1 Coríntios 2.14-16

terça-feira, 14 de junho de 2016

LOUCAS !


Blog do Bispo Macedo
E, tardando o Esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o Esposo, saí-Lhe ao encontro! Mateus 25.5,6
Esse clamor não seria o clamor daqueles que quando Jesus voltar ficarão por sentir na pele a dor de um dia terem rejeitado a fé nEle? Você pode imaginar os aviões sem pilotos, os trens sem maquinistas, carros sem os motoristas, um verdadeiro caos. Somado a isso as mães sem seus filhos, mulheres sem seus maridos, e vice-versa, e parentes tomando conhecimento que uma parte de seus familiares desapareceram. Com certeza, todos esses acontecimentos geram um clamor.
Acredita-se que as virgens loucas eram de Deus por terem tido a oportunidade de ter o azeite, mas a fonte secou, e elas não tiveram o cuidado de manter a fonte jorrando. Com o passar do tempo, elas relaxaram na fé e a fonte secou. E elas clamaram, e o clamor delas se juntou com aqueles que rejeitaram Jesus.
Por exemplo, uma senhora, membro da igreja, foi visitar um parente que está em estado terminal no hospital. Quando ela falou de Jesus para esse familiar, ele disse para ela, no momento da morte, que não precisava de Jesus. Ela falou isso com ele pela manhã, e à tarde ele morreu. Ele rejeitou Jesus. Isso é triste, porém, mais triste ainda é a pessoa que esteve com Jesus um dia, mas O rejeitou, virando as costas para não segui-lO mais.
Jesus nunca chamou de loucos os incrédulos que O rejeitaram. Mas, as cinco virgens que um dia tiveram o azeite e não se preocuparam em sempre tê-lo, Jesus chamou de loucas.

http://blogs.universal.org/bispomacedo/2016/06/14/loucas/ 

sábado, 11 de junho de 2016

Os sonhos da fé


Deus exigiu de Abraão 3 tipos de sacrifício. Saiba quais são




Quando Deus chama alguém para tornar-se Seu parceiro, é para transformá-lo em uma verdadeira bênção neste mundo perdido. E significa que esse alguém será tão abençoado quanto Abraão e um referencial da Sua glória para todas as gerações. Mas a parceria com Deus envolve muito mais do que simplesmente dizer "eu aceito Jesus como Salvador". A parceria com Deus exige o sacrifício da entrega total e incondicional, a exemplo de Abraão.
Obviamente, uma parceria com Deus não é constituída sobre os mesmos termos que as dos seres humanos. As desse tipo também têm as suas regras, mas essas nunca são incondicionais. Nem nos casamentos nem nas sociedades em geral as alianças são incondicionais, porque o ser humano é falho. Mas, quando o pacto é feito entre o ser humano e Deus, não pode ser condicional, pois é tudo por tudo. É tudo de Deus por tudo do ser humano. É o termo estabelecido pelo Senhor.
Observam-se 3 tipos de sacrifício exigidos por Deus no pacto feito com Abraão:
Primeiro: sair da própria terra. Isso era muito raro naqueles dias. Somente os fugitivos ou os fracassados deixavam tudo para trás e se aventuravam numa nova terra. Significava renunciar a todo o patrimônio imobiliário.
Segundo: deixar a parentela. Tratava-se de abandonar a tradição religiosa, tão significativa naqueles dias.
Terceiro: deixar a casa dos pais. Significava renunciar às responsabilidades de liderança familiar deixada pelo pai. Em compensação, a promessa de Deus para Abraão era perfeita e completa. Deus exigiu três atitudes de fé e lhe retribuiu com sete bênçãos: Primeira: De ti farei uma grande nação. Segunda: E te abençoarei. Terceira: E te engrandecerei o nome. Quarta: Sê tu uma bênção. Quinta: Abençoarei os que te abençoarem. Sexta: E amaldiçoarei os que te amaldiçoarem. Sétima: Em ti serão benditas todas as famílias da terra.
Observa-se que a primeira promessa a Abraão foi a garantia, não de um filho apenas, mas, de uma grande nação. O maior sonho de Abraão era ter um filho. Um único filho já era suficiente para fazê-lo plenamente feliz. Mas, quando se faz um pacto com Deus, a realização dos sonhos vai muito além de tudo o que se imagina ou deseja.
É claro que a realização de todos os sonhos vindos da parte de Deus não acontece de um dia para o outro. E é justamente aí que está o segredo para a obtenção das bênçãos Divinas: a fé perseverante. O outro segredo de Abraão foi a sua persistência. Esperando contra a esperança, ele creu que as promessas de Deus iriam se cumprir, cedo ou tarde, independentemente de quaisquer circunstâncias. Ele não abandonou a fé naquelas promessas mesmo vendo que ele e a esposa estavam envelhecendo. E isso é o que faz a diferença entre cristãos e cristãos.
Muitos dizem possuir a fé cristã e até a exteriorizam mantendo frequência na igreja, mas, no íntimo, há muito tempo já desistiram de perseguir os seus sonhos da fé. Isso não aconteceu com Abraão. Ele creu, a despeito da visão física, porque Aquele que fez a promessa era e é Espírito. E para o Espírito de Deus não há limites, nem mesmo a carne envelhecida.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Por que tantos nascidos da carne?



Nascer do Espírito Santo requer sacrificar a própria vontade


Quando os autores sagrados falam em carne não estão se referindo à matéria, ao corpo físico, porque esse serve como templo para o Espírito Santo. Biblicamente, a carne diz respeito à vontade humana. Ela é inimiga de Deus por não querer se sujeitar à Sua vontade. A mente carnal tem as suas próprias regras, segue as suas próprias cobiças e inclinações de sua natureza rebelde. O Espírito ensina que "o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar" (Romanos 8.7).
Milagres envolvendo curas, libertação de encostos e vícios ou de reconstrução de lares são mais simples de acontecer do que o milagre do novo nascimento. Isso se deve ao fato de que as pessoas têm fé para conquistar os benefícios materiais, mas não possuem a mesma fé para superar a sua natureza carnal, substituir a sua vontade pela vontade de Deus e, assim, morrer para si e viver para Ele.
Há mais disposição de fé para as conquistas exteriores e materiais, como a cura de uma enfermidade e a compra de um carro, por exemplo, do que para as conquistas interiores e espirituais. Isso porque o sacrifício físico é menos doloroso do que o espiritual. O sacrifício exigido pela fé nas conquistas materiais é material, mas o sacrifício exigido pela fé nas conquistas espirituais é espiritual. Vejamos: Deus promete abrir as janelas do Céu e derramar bênçãos sem medida sobre todos os dizimistas e ofertantes. Para isso é preciso manifestar a fé sacrificial, pagando o dízimo e dando ofertas.
Portanto, as riquezas econômicas vindas de Deus exigem o sacrifício financeiro, que é material. Porém, para a pessoa nascer do Espírito Santo é preciso sacrificar a própria vontade, ou seja, morrer para si mesma. Obviamente esse grau de fé exige um sacrifício espiritual, que é muito maior do que o sacrifício financeiro. Uns têm tido fé apenas para sacrificar a si mesmo, ou seja, a própria vontade; outros para sacrificar com os seus dízimos e ofertas.
Há, ainda, os que manifestam a fé tanto para conquistar uma nova vida em Cristo Jesus quanto para conquistar a vida com abundância prometida por Ele. O importante é que cada um tenha a sua própria fé bem definida. Muitas pessoas são gratas ao Senhor pela manifestação de poder em suas vidas, mas ainda assim recusam-se a abrir mão da liberdade da carne; afinal, todos são livres para fazer o que bem entendem. Como sinal de gratidão, trocam de religião, de Igreja e até de costumes. E, voluntariamente, colocam-se à disposição de alguns serviços religiosos.
Mas, para nascer de Deus, é preciso sacrificar a própria vida, isto é, renunciar aos apelos da carne e do mundo. É como o Senhor disse: "Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto" (João 12.24). E confirma Salomão: "Melhor é o longânimo do que o herói da guerra, e o que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade." Provérbios 16.32
Gostou? Compartilhe nas redes sociais.
(*) Texto extraído lo livro "Mensagens do bispo Macedo"

quinta-feira, 9 de junho de 2016

A prova


prova


Qual o objetivo de submeter alguém a uma prova? O que se espera com isso? No caso humano, é para que se saiba se o candidato tem ou não condição de ascender, seja no trabalho, seja para conseguir um trabalho, seja para passar para a seguinte série na escola, seja para ser aceito numa universidade etc.
Todos os que desejam algo melhor devem estar dispostos a se submeter a uma ou várias provas para assim mostrar o seu valor, a sua capacidade. Nas provas somos avaliados e nos autoavaliamos.
E quando essa prova é feita pelo Próprio Deus? Qual o objetivo? Pois, se Deus é sabedor de tudo, supostamente não seria necessário sermos avaliados ou provados por Ele, uma vez que, de antemão, Ele já sabe qual será o resultado. Porém, Deus nos leva às provas, que é o Altar, para que possamos ver o valor da nossa fé, para que venhamos nos conhecer, e assim entender se podemos ou não alcançar algo maior.
Muitos se queixam dos resultados de sua vida cristã, porém, não refletem que todas as vezes que são chamados para o Altar, que é a prova, têm negado a fé, têm sido negligentes, faltos, incorretos e, como consequência dessa reprovação no Altar, têm tido uma vida de fracassos.
Quando Abraão foi posto à prova, ele simplesmente disse: “Eis-me aqui!” Ele não fugiu, não negou, não questionou, não falou com ninguém, porque na hora que somos provados não podemos recorrer a ninguém, pois a prova é individual. Não podemos colar, temos que mostrar para nós mesmos se somos ou não capazes de colocar Deus acima de tudo e de todas as coisas.
Foi isto que Deus queria mostrar através de Abraão: que quem O tem como o seu grandíssimo galardão não terá problema em pôr no Altar o que lhe for pedido. E quando o fazemos, temos o prazer, o privilégio de ouvir a mesma Voz que Abraão ouviu:
Por Mim Mesmo jurei, diz o Senhor: Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único filho, que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas do céu, e como a areia que está na praia do mar…Gênesis 22.16,17
Esse juramento de abençoar grandissimamente é somente para os que são aprovados!
E você, vai passar na prova? Só o Altar vai dizer!!!
Colaborou: Bispo Franklin Sanches

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Só depende de você



 





Cada um é dono da própria vida e responsável pelas decisões que toma

 

"Ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as Suas penas, e, sob Suas asas, estarás seguro; a Sua verdade é pavês e escudo. Não te assustarás do terror noturno, nem da seta que voa de dia, nem da peste que se propaga nas trevas, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido." Salmos 91.3-7

Os benefícios apontados nesse trecho bíblico são dados àqueles que estão sob a guarda do Altíssimo, sob as asas da Justiça. Esses estão protegidos e podem viver tranquilamente.
A palavra "seta", que lemos nesse trecho, pode ser, atualmente, substituída por bala, pois não são poucas as balas perdidas que têm "voado" em direção a um número cada vez maior de inocentes. Não é difícil entender por que os que estão sob a guarda do Altíssimo recebem proteção total, pois o Senhor Jesus disse que Ele veio nos trazer vida com abundância, enquanto o diabo, para matar, roubar e destruir.
Quem decide ficar na treva ou sair dela é a própria pessoa. Só ela pode decidir o seu futuro, traçar o seu caminho. Obviamente, você não pode apenas desejar isso. Precisa tomar a atitude de deixar o erro, o pecado.
Cada um é dono da própria vida e responsável pelas decisões que toma. Assim, quando alguém decide tomar um rumo em direção à justiça, Deus parte ao seu encontro, imediatamente, para fazê-lo feliz. Todos queremos a felicidade, mas somente aqueles que decidem seguir o caminho da justiça têm o apoio de Deus para reverter situações adversas.
Por isso Jesus disse: "(...) Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (João 10.10). Você que tem vivido sob a autoridade do diabo – que veio para matar, roubar e destruir – e tem visto a vida, os bens afetivos e materiais se esvaírem aos poucos, saiba que Deus está pronto para interferir, desde que você largue a vida errada. É necessário que reflitamos sobre a palavra que o Senhor Jesus disse aos fariseus:
"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas" (Mateus 23.23). O tripé da Salvação é este: justiça, misericórdia e fé. Quando tomamos a atitude de viver na justiça, damos "a César o que é de César e a Deus o que é de Deus" (Mateus 22.21). Isso significa que se temos que pagar impostos, paguemos impostos; se temos que pagar o dízimo, paguemos o dízimo ao Senhor. Andemos corretamente.
Quando agimos assim, temos o direito de reclamar com o Justo Juiz os nossos direitos, os benefícios da justiça. Porém, se mesmo religioso, assíduo na igreja, pagante do dízimo, vive-se, às escondidas, na prostituição, no erro, como exigir de Deus que Ele seja justo? Não há cabimento para tal coisa. Medite nas palavras do Senhor Jesus aos fariseus; Ele os chamou de hipócritas. Você não pode apenas cumprir parte da justiça, é necessário cumpri-la totalmente. Caso contrário, abrimos um precedente para que o diabo nos acuse diante de Deus.
É preciso que a pessoa abandone definitivamente o caminho enganoso e parta para a vida correta. A pessoa que trabalha tem direito a apelar, pela fé, para as bênçãos prometidas na Palavra de Deus. Para tanto, ela precisa cumprir a lei, seguir os mandamentos e a fé. Ao mesmo tempo que temos direitos, temos obrigações com Deus.
Alguns podem até manifestar fé e conquistar benefícios. Porém, se a pessoa não mantiver a vida reta, no futuro perderá o que conquistou. Para que isso não aconteça, mantenha-se na justiça, dando a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Como os hebreus no deserto


deserto


Os hebreus estavam como escravos no Egito por mais de 400 anos.
Humilhados e longe de Deus, eles clamaram por socorro, pois não aguentavam mais sofrer.
Deus então enviou o Seu servo para proclamar a libertação dos hebreus e os liderar à Terra Prometida.
E assim sucedeu. Após a épica manifestação de Deus no Egito pela libertação do povo, milhares de hebreus, agora livres, estavam em uma jornada no deserto. Uma jornada rumo a uma promessa, rumo à Terra Prometida.
No Monte Sinai, um pedido que impressionou a todos foi feito a Moisés. Deus queria habitar entre o povo e disse a Moisés para construir um Tabernáculo para que Ele pudesse morar com os hebreus e guiá-los no deserto. E assim foram caminhando durante quarenta anos.
Muitos duvidaram, reclamaram, se arrependeram de terem saído do Egito e morreram no caminho. Poucos entraram na Terra que mana leite e mel. Para os que perseveraram na fé, Jerusalém agora é a sua morada.
Hoje não é diferente.
Vivíamos escravos do pecado, algemados pela culpa e cobertos de imundice que este mundo jogava sobre nós. Éramos como mortos-vivos longe do Altíssimo. Até que clamamos por socorro e Ele nos enviou o Libertador. As Palavras de Vida que ouvimos fez com que a fé que estava dormente dentro de nós se acendesse.
O nosso Libertador, o Senhor Jesus, arrancou nossas almas da escravidão do pecado e nos prometeu dar a Vida Eterna nos Céus. Começamos então uma jornada por este mundo. Dia após dia lutando contra o nosso eu, contra a nossa vontade e contra o pecado. Dia após dia caminhando neste deserto árido rumo à Vida Eterna.
E assim como Deus manifestou o desejo de habitar entre o povo hebreu no deserto, Ele revelou o Seu imenso desejo em habitar dentro de cada um de nós através do Espírito Santo.
Desta vez, Ele não ficaria dentro de um Tabernáculo, mas dentro do nosso corpo. Sim, o Deus Altíssimo não estaria entre nós, mas dentro de nós. E os que almejaram isso de todo o coração foram então cheios do Espírito Santo!
Assim como os hebreus, todos os que um dia foram libertos da escravidão do pecado pelo poder da fé estão caminhando por este “deserto” chamado mundo. Estão caminhando rumo à Salvação Eterna, a Nova Jerusalém. Mas infelizmente, assim como os hebreus duvidaram, reclamaram e almejaram voltar para o Egito, muitos ex-escravos hoje estão se perdendo neste deserto por ainda não terem recebido o sustento para vencer o mundo, que é o Espírito Santo.
Que neste Jejum de 21 dias possamos focar no que realmente importa, que é o recebimento do Espírito Santo. Mas, para isso, a pessoa tem que deixar de duvidar, reclamar ou olhar para trás, e almejar acima de tudo se tornar a morada do Altíssimo.
Colaborou: Bispo Miguel Peres

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Parábola do Filho Pródigo


filho prodigo


Jesus contou nessa parábola que um pai tinha dois filhos. Certo dia, o filho mais novo quis receber sua parte da herança que tinha por direito e pediu ao pai, que lhe concedeu. Ao receber, ele saiu de casa e foi cuidar da sua própria vida de forma irresponsável. O outro filho também recebeu sua parte da herança, mas ficou ao lado do pai.

Como o filho caçula queria se sentir livre e curtir a vida, ele viveu cada dia como se fosse último e conheceu novos amigos, passou a frequentar todas as festas, envolveu-se com prostitutas, bebedeira etc. Porém, como qualquer jovem cheio de vigor e vontade de viver, ele jamais imaginaria que um dia toda essa “farra” poderia se tornar um pesadelo. O seu dinheiro acabou e com isso seus “amigos” o abandonaram, as garotas de programa não puderam mais acariciá-lo, e ele se viu na pior situação que um ser humano pode chegar – no fundo do poço, sem nenhuma dignidade. Como se não bastasse, a fome chegou em sua região e ele começou a passar necessidades. Um dos cidadãos daquela terra o mandou para os campos para cuidar dos porcos, e seu desespero foi tão grande que ele desejava comer a comida dos porcos, mas ninguém lhe dava nada!

Que situação trágica! Jesus quis mostrar, através dessa parábola, que o povo de Israel também estava assim. Ele tinha de tudo junto do Pai, mas preferiu virar as costas para Deus e viver da sua própria maneira. Mas hoje, será que nós também não temos agido assim? Pensamos que somos fortes o bastante, temos o direito de sermos abençoados, sabemos como dirigir a nossa vida, mas tudo, porém, sem a ajuda de Deus. Se você estiver construindo sua vida dessa maneira, cuidado: uma hora tudo pode dar errado. (Jesus disse que aqueles que ouvem as suas palavras, mas não praticam, são pessoas insensatas que construíram sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela caiu. E foi grande a sua queda). Leia Mateus 7:26,27.



Aquele filho era abençoado na casa do pai e tinha a verdadeira liberdade, mas seu coração estava sempre inquieto. Ele achava que somente as outras pessoas eram felizes e que o pai o estava privando de tantas coisas, quando na verdade ele estava protegendo-o. Então ele achou melhor ouvir a “voz do seu coração” e foi experimentar os prazeres do mundo, sem medir as consequências. Até que os tempos difíceis vieram e ele viu a grande besteira que cometeu. O inimigo (Satanás), estava por trás de tudo e conseguiu humilhá-lo e tirar tudo de bom que ele havia aprendido em sua casa com o pai. Mas, graças a Deus, o inimigo não conseguiu roubar daquele jovem a sua fé e esperança. Ele então, lembrou-se dos tempos bons de fartura que viveu com seu pai, em que nada lhe faltava! Veja como foi o momento do seu arrependimento e reencontro com seu pai:

Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados’. A seguir, levantou-se e foi para seu pai. “Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou. “O filho lhe disse: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho’. “Mas o pai disse aos seus servos: ‘Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés.” (Lucas 15:17-22)

Quero dizer algo a você que está lendo essa mensagem: Se você se identificou com a história desse filho que estava disposto a ser feliz acima de tudo, mas se esqueceu que a verdadeira felicidade só podia ser vivida junto ao pai, saiba que Deus ainda te espera de braços abertos! Ele quer te dar um abraço muito apertado e dizer o quanto Ele te ama! Ele é um Deus de segunda chance! Ele não te acusa nem joga pedras quando você erra. Pelo contrário, a Bíblia diz que Deus colocou todos nossos pecados sobre Seu Filho Jesus na cruz, para que hoje, nós pudéssemos ser perdoados e aceitos novamente por Deus.

Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” (2 Coríntios 5:21)

Agora, tudo o que você precisa fazer é arrepender-se de seus pecados, aceitar pela fé o perdão e voltar para os caminhos de Deus. Ele tem uma herança eterna para você e promessas para sua vida muito maiores do que você jamais imaginou!

Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós.” (Efésios 3:20)

Talvez você nunca saiu da casa do Pai… Porém, mesmo estando na igreja, você tem se afastado de Deus e não tem valorizado o sacrifício que Cristo fez por você. Você deixou de buscar as coisas do Alto e sua vida perdeu o sentido. Você não sente mais a alegria de servir a Deus e parece que seu coração se esfriou, pois suas orações são vazias e sem fé. Saiba que você precisa estar em comunhão com Deus não só quando as dificuldades vêm, mas para que o Senhor possa cumprir tudo o que Ele quer fazer na sua vida e através de você. O seu tempo é hoje de se arrepender. Na casa do Pai tem fartura para você! Por isso, tenha a mesma atitude deste filho pródigo. Arrependa-se e volte. Deus devolverá suas vestes, seu anel e as suas sandálias. Ele é o Deus da restituição!

Fonte: http://toqueemcristo.com.br/parabola-do-filho-prodigo/

domingo, 5 de junho de 2016

Você tem a identidade de Cristo?


Leia a mensagem de hoje do livro “O Pão Nosso para 365 dias”


“Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa.” Gálatas 3.28,29


Quando deixa de ser filho do mundo e passa a ser de Deus, você deixa de ter a natureza deste mundo. As divisões que existem aqui não existem espiritualmente. Não há patrão, não há empregado, não há branco, não há negro, não há mulher, não há homem. Todos somos um, todos represen­tamos o Senhor Jesus.
Tanto a mulher quanto o homem têm a mesma identidade, a mesma estrutura espiritual diante de Deus: filho. Sem distinção de gênero. Ao se tornar filho de Deus, você se torna a imagem de Jesus e passa a ser Jesus onde quer que você vá.
Jesus nunca foi negativo; nunca foi desanimado; nunca foi religioso. Jesus nunca julgou os pecadores, mas não teve meias palavras para desmascarar os hipócritas. Jesus é transparente. Ele é o que é. Não finge, não dissimula. Nunca teve medo de dizer o que tinha de ser dito. Ele se dedicou a ensinar, a fazer discípulos. Ele enfrentou a perseguição. Perdoou aqueles que O agrediram.
“Aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar assim como Ele andou” (I João 2.6). Quando se torna filho de Deus, tem que mostrar o caráter de Jesus. Você é um Jesus onde quer que você vá. Em sua casa, no trabalho, em qualquer lugar. Se dentro de você está o Espírito de Jesus, você assume a identidade dEle.

Você tem sido Jesus em sua casa? Você tem sido Jesus em sua família? Tem sido Jesus em seu trabalho? Essa é a sua responsabilidade.

APRESENTAÇÕES EM POWER POINT PARA VOCÊ

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin